Economia

Empresas globais pagam US$ 53 bilhões em 2020 por emissão de carbono (CO2)

As sete maiores economias avançadas do mundo reconheceram na semana passada o papel da precificação do carbono

diario da manha

Negócio sustentável

Pablo Macchiavello

Países ao redor do mundo levantaram US $ 53 bilhões no ano passado cobrando das empresas pela emissão de dióxido de carbono (CO2), um aumento de quase 18% em relação a 2019, com o aumento de alguns impostos e preços em alguns esquemas existentes, disse o Banco Mundial em relatório na terça-feira.

Muitos países estão usando um preço sobre o carbono para ajudar a cumprir suas metas climáticas na forma de imposto de comércio de emissões (ETS) ou com sistema de limite-e-comércio.

As sete maiores economias avançadas do mundo reconheceram na semana passada o papel que a precificação do carbono pode desempenhar no incentivo à inovação de novas tecnologias para atingir as emissões líquidas zero.

“Apesar da turbulência social e econômica causada pelo COVID-19, as jurisdições e as empresas não vacilaram em seu compromisso com o combate às mudanças climáticas”, disse o relatório.

Havia 64 instrumentos globais de precificação de carbono em operação em 2021, em comparação com 58 em 2020, cobrindo mais de 21% das emissões globais de gases de efeito estufa, ante 15,1% no ano passado, disse o relatório.

O aumento nas emissões cobertas é em grande parte devido ao lançamento este ano do ETS nacional da China – o maior mercado de carbono do mundo – cobrindo inicialmente cerca de 30% das emissões do país, ou cerca de 4 bilhões de toneladas de CO2, disse o relatório.

O aumento nas receitas geradas no ano passado deveu-se principalmente aos preços mais altos no ETS da União Europeia, onde o custo das licenças de carbono aumentou mais de 30%.

O Banco Mundial disse, no entanto, que os preços do carbono na maioria das regiões do mundo permaneceram bem abaixo dos níveis necessários para impulsionar as mudanças para cumprir o acordo climático de Paris de 2015.

“A maioria dos preços do carbono ainda permanece muito abaixo da faixa de US $ 40– $ 80 / tCO2e (toneladas de dióxido de carbono equivalente) necessária em 2020 para cumprir a meta de temperatura de 2 Celsius”, disse o relatório. “Preços mais altos serão necessários … para atingir a meta de 1,5 ° C.”

Quase 200 países assinaram o acordo de Paris, que visa limitar o aquecimento global bem abaixo de 2C (3,6 Fahrenheit) acima dos níveis pré-industriais, e de preferência 1,5C.

Comentários