Economia

Inflação elevada permanecerá conosco por algum tempo, afirma Guindos

Guindos também destacou que as projeções preveem crescimento acima de 2% ao longo do horizonte de projeção

diario da manha
A inflação foi influenciada pelos altos preços dos grupos de alimentação e bebidas (1,48%)
Por Letícia Simionato

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, afirmou nesta segunda-feira que a inflação elevada ainda permanecerá por algum tempo, caindo para um pouco acima da meta apenas ao final do horizonte de projeção.

Segundo o banqueiro, nos últimos meses, as pressões inflacionárias se ampliaram e se intensificarem em muitos bens e serviços. “Esperamos que a moderação dos custos de energia, o alívio das interrupções no fornecimento relacionadas à pandemia e a normalização da política monetária levem a inflação a retornar à meta de 2% no médio prazo. Porém, os riscos em torno da inflação estão altos”, analisou, em discurso no Frankfurt Euro Finance Summit.

Guindos também destacou que as projeções preveem crescimento acima de 2% ao longo do horizonte de projeção. No entanto, a guerra e o risco de mais rupturas no fornecimento de energia à zona do euro continuam a ser um risco negativo significativo para o crescimento. “O cenário das nossas projeções de junho reflete este risco e implica uma contração da atividade em 2023, após um crescimento mais fraco, mas ainda positivo em 2022”, prevê.

Leia também:

Comentários