Entretenimento

DM é premiado e Renato Dias obtém a maior homenagem em Porto Alegre

diario da manha
  •  Hors concours, pelo conjunto da obra, inclui reportagens sobre prisões ilegais de sem-terra, em Goiás, trabalho escravo e violência no campo
  • Levantamento da prisão, no Estado Novo, há exatos 80 anos, do socialista Domingos Vellasco, e carta à mãe de um desaparecido integram o pacote
  • Caderno especial com delações de Mauro Borges Teixeira, filho de Pedro Ludovico Teixeira, com ataque ao Tiro de Guerra, compõe a relação
  • Jornalista tem livro premiado: Tardia e Incompleta – A Justiça de Transição no Brasil, com design de Eric Damasceno e revisão de Fátima Toledo

Hors concours pela série de reportagens ex­plosivas. Contra a criminalização dos mo­vimentos sociais, em par­ticular, a denúncia das prisões de três sem-ter­ra, com suposto funda­mento na lei antiterro­rismo. Mais: a escalada do trabalho escravo e da violência no campo, em Goiás e no Brasil. Além do caderno especial que aponta­va as delações de Mauro Borges Teixeira, governador de Goiás de 1961 a 26 de novembro de 1964. Para atingir acusados de subver­são da ordem. Os 80 anos da prisão de Domingos Velasco, à época do Estado Novo [1937-1945]. Assim como a recém-publicação do livro Tardia e Incompleta – A Justiça de Transição no Brasil – Uma análi­se comparativa do caso brasileiro com os do Cone Sul – Argentina, Uruguai e Chile –, da Europa do Sul – Itália, pós-Benito Mussolini, Espanha, depois de Francisco Fran­co, Grécia, com a queda da Junta Militar, e Portugal, após a Revolu­ção dos Cravos –, o repórter espe­cial do Diário da Manhã, Renato Dias, faturou o prêmio principal e será o maior homenageado na noite de 11 de dezembro, segun­da-feira, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. É o 34º Prêmio Nacional de Jornalismo e Direitos Humanos. Uma promo­ção do Movimento de Justiça e Di­reitos Humanos e da OAB.

Graduado em Jornalismo pela Alfa, formado em Ciências So­ciais, na Universidade Federal de Goiás, com pós-graduação em Políticas Públicas, UFG, curso de especialização em Gestão da Qualidade, pela Fieg, Sebrae-GO e CNI, e mestre em Direito e Re­lações Internacionais, Pontifícia Universidade Católica de Goiás [PUC-GO], ele é autor de 11 li­vros-reportagem. Integram a lis­ta: Luta Armada/ALN-Molipo – As Quatro Mortes de Maria Augusta Thomaz, História – Para Além do Jornal – Um repórter exuma es­queletos da ditadura civil e mili­tar, O menino que a ditadura ma­tou – Luta armada, Var-Palmares, desaparecimento e o desespero de uma mãe, Não! Os sem-gravata – Um escritor vai à Grécia, diagnos­tica a crise e descobre qual é a do Syriza e da Troika, Pequenas His­tórias – Cuba, hoje – Uma revolu­ção envelhecida ou a reinvenção do socialismo?, 1964-2016 – Pági­na Infeliz da Nossa História – Gol­pe depõe Dilma Rousseff e anun­cia um futuro a Temer, Soldados de Leon – Meus Inimigos estão no Poder – Trotskistas no Brasil, a luta de classes, o internacionalismo e as revoluções socialistas no sécu­lo 21, A paixão é vermelha, Tardia e Incompleta – A Justiça de Transi­ção no Brasil – Uma análise com­parativa do caso brasileiro com os do Cone Sul – Argentina, Uruguai e Chile –, da Europa do Sul – Itá­lia, pós-Benito Mussolini, Espa­nha, depois de Francisco Fran­co, Grécia, com a queda da Junta Militar, e Porto, após a Revolução dos Cravos.

CRITÉRIOS DEFINIDOS

A Comissão Julgadora infor­ma ter estabelecido cinco crité­rios básicos para a defi­nição dos premiados. Primeiro, a qualidade do texto ou da ima­gem. Segundo, a in­vestigação original dos fatos. Terceiro,  a profundidade no tratamento da informação. Quarto, a abor­dagem de temas socialmente re­levantes. Quinto, os valores éti­cos profissionais refletidos no trabalho. Cada um dos critérios teria sido aplicado em todas as categorias vigentes. O número de trabalhos inscritos totalizou 289. Entre eles, TV Globo, Rio de Janeiro; Programa Domingo Espetacular, TV Record; Revis­ta Época, jornal O Estado de São Paulo, Revista Nacional Supe­rinteressante, Zero Hora, de Por­to Alegre; TV Futura, Rádio Se­nado, Brasília [DF], Band News, São Paulo, Correio do Povo, Por­to Alegre; Diário Gaúcho, Porto Alegre; TV Record, São Paulo; TV Record, Rio Grande do Sul; Agência Pública, Repórter Bra­sil, Panda Filmes, O Popular, de Goiânia, Goiás, com reportagens de Rogério Borges, Carla Borges e Galtiery Rodrigues; Jornal do Comércio, Diário Popular, de Pelotas, Rio Grande do Sul; as­sim como o livro Massacre na Granja São Bento, de autoria do escritor Luiz Felipe Campos. A obra de Renato Dias tem o de­sign de Eric Damasceno e a re­visão de Fátima Toledo, RD Co­municações.

 SERVIÇO

Nacional de Jornalismo e Direitos Humanos

Organização: Movimento de Justiça e Direitos Humanos e Ordem dos Advogados do Brasil

Data: 11 de dezembro, segunda-feira

Horário: 19h30

Local: Sede da OAB, em Porto Alegre [RS]

Premiação Hors Concours: Diário da Manhã e Renato Dias

 

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio