Entretenimento

Tragédia, dores e superação : a vida de Hélcio Jaime Perillo

diario da manha
  •  Com as limitações aos portadores de necessidades especiais, em um País onde os direitos não são universais e faltam políticas públicas de inclusão social
  • Acidente automobilístico, no Espírito Santo, matou os pais, um irmão e uma irmã do atleta, que ficou paraplégico e sem família aos cinco anos de idade
  • Nascido em Palmeiras, radicado em Goiânia, ele despontou-se no Tiro Esportivo e hoje destaca-se no cenário mundial como ícone do arco e flecha
  • Criado pelos parentes, enfrentou obstáculos que pareciam intransponíveis, sofreu, chorou, formou-se em Sistemas de Informática e passou em concurso

Pai, mãe, três filhos. Os cinco em viagem para o Estado do Espírito Santo. Point com mar e água gelada. Na curva da estrada, quase o fim da história. Um aciden­te trágico mata os genitores, João Jai­me Perillo e Ilza Gomes Perillo, dois rebentos, André Luiz e Jurema Perillo. Apenas um sobrevivente, com as se­quelas provocadas por uma grave fra­tura na coluna cervical. O garoto de apenas cinco anos de idade fica pa­raplégico. Amparado pela família, na dor sem fim, é criado pelos parentes, com amor. Essa é a história real de Hél­cio Jaime Perillo.

Tragédia, dor e superação.

Com as limitações para os porta­dores de necessidades especiais no sé­culo XX, em um País que integra a pe­riferia do sistema capitalista mundial de poder, onde os direitos não são uni­versais e as políticas públicas de inclu­são social ainda não foram constituídas em direitos efetivos, ele cresceu, virou adolescente, adulto, ingressou na uni­versidade, em Anápolis, a Manchester Goiana, e graduou-se em Sistema de Informática. Estudioso, acabou apro­vado em concurso público para o Mi­nistério Público do Estado de Goiás, na área de Tecnologia de Informação.

Desde o ano de 2008, turbulen­to na economia e com sorrisos na mi­nha vida pessoal.

CASA VERDE

Primo tanto do inquilino da Casa Verde, o tucano Marconi Ferreira Pe­rillo Júnior, quanto da primeira-da­ma do Estado de Goiás, Valéria Jaime Perillo, Hélcio Jaime Perillo encon­trou no Esporte uma razão para vi­ver. Com mais alegria e paixão. Com uma dedicação incomum, tornou­-se uma referência mundial entre os atletas paraolímpicos. Com o Bolsa­-Atleta, um incentivo ao desportista de alta performance, de elevado ren­dimento técnico e físico, conseguiu ir além. O pódio lhe sorriu. Hélcio Jay­me Perillo obteve a premiação inédi­ta de recordista das Américas.

Já no ano de 2014, com o tiro es­portivo. O seu técnico na seleção bra­sileira era Frank.

Com a obsessão de ultrapassar no­vos obstáculos, o atleta paraolímpico optou, em 2016, por uma nova moda­lidade esportiva. O arco e flecha, rela­ta, emocionado, ao Diário da Manhã, com o treinador da seleção brasilei­ra. O seu nome? Ah! Henrique Jur­ques, informa, com um sorriso aber­to a emoldurar o seu rosto marcado pela dor e a luta permanente, de um workaholic, pela obtenção de ultra­passagem das dificuldades impostas pelas limitações físicas causadas por um acidente automobilístico. Tão co­mum no País Tropical, o Brasil, de di­mensão continental.

Tragédias que ceifam vidas & vidas.

DE PALMEIRAS

O menino nascido em Palmeiras, em 26 de fevereiro de 1969, que trans­feriu-se para Goiânia em 1985, é, hoje, tricampeão brasileiro de Tiro Espor­tivo Paraolímpico. Em tempo: arran­cou, na raça, a medalha de Bronze no Mundial, do ano de 2015, na Austrália. Na Era da Globalização, em 2017, em­barcou para a China, o país dos ho­mens e mulheres dos olhos puxados. Terra de Mao Tsé-Tung, líder da revo­lução socialista em outubro de 1949. A China é a segunda maior potência econômica e militar do planeta terra no mundo contemporâneo.

O mundial, em Beijing, ocorreu no mêsdesetembro. Obtiveumlugardedes­taquenacategoria W1, queédefinidapor nível de deficiência física.

Máquina de treinamento, virou um papa-títulos. Hélcio Jaime Pe­rillo sagrou-se, em novembro últi­mo, campeão brasileiro. Nada mais, nada menos do que quatro dias inin­terruptos de competições exaustivas e competitivas no Centro de Forma­ção Olímpica de Fortaleza, Estado do Ceará. Mais: é campeão brasilei­ro Indoor. Com energia exalando pe­los poros de sua pele, o antigo garo­to de Palmeiras possui, agora, novos projetos para a temporada de 2018 no mundo dos Esportes Paraolímpi­cos, além de continuar com a rotina de trabalho no MP [GO].

Fui convocado para a Seleção Brasileira.

ALTO PERFORMANCE

O atleta de alto rendimento, uma referência para o Estado de Goiás, as­sim como para o Centro-Oeste e o Bra­sil, confidencia ao Diário da Manhã que já está programada para ocorrer uma competição em Dubai, nos Emi­rados Árabes, em março do ano que vem, embora os treinamentos já co­meçaram. Trabalhos pesados, adian­ta. Não existe moleza, brinca, anima­do, o ‘enfant terrible’, um velho amigo do colunista Luiz Augusto Pampinha, titular da coluna mais lida do jornal Di­ário da Manhã, o veículo campeão em acessos pela internet em Goiás.

Os patrocinadores das jornadas es­portivas são a Seduce [Secretaria de Edu­cação, Cultura e Esportes, do Governo do Estado de Goiás], com amparo do Pró­-Esporte, além da Bolsa Especial do Mi­nistério dos Esportes.

 

Desportista de alta performance, de elevado rendimento técnico e físico, conseguiu ir além. O pódio lhe sorriu”

Mundial, em Beijing, ocorreu no mês de setembro. Obtive um lugar de destaque na categoria W1”

 

PERFIL

Nome: Hélcio Jaime Perillo

Data de nascimento: 26 de fevereiro de 1969

Onde: Palmeiras – Estado de Goiás

Pais: João Jaime Perillo e Ilza Gomes Perillo [in memoriam]

Irmãos André Luiz e Jurema Perillo [in memoriam]

Formação: Sistemas de Informática

Esportes que pratica: Tiro Esportivo Paraolímpico e Arco e Flecha

Patrocinadores: Seduce [Secretaria de Educação, Cultura e Esportes, do Governo do Estado de Goiás], com amparo do Pró-Esporte, além da Bolsa Especial do Ministério dos Esportes FIL

Comentários

Mais de Entretenimento

9 de julho de 2019 as 11:36

Cuphead vai se tornar série na Netflix

25 de maio de 2019 as 19:51

Atriz Lady Francisco morre no Rio