Entretenimento

Cantor sertanejo revela que vive com bala alojada na cabeça: ‘Se tirar, fico cego ou surdo’

O cantor Maicon, que faz dupla com Marlon, revelou que foi vítima de disparo efetuado por um amigo durante uma brincadeira quando era mais novo

diario da manha
Sertanejo Maicon, da dupla com Marlon, conta que vive com bala alojada na cabeça- Foto: Reprodução/Instagram

O cantor Maicon, que faz dupla com Marlon, revelou em entrevista ao podcast Flow que vive há mais de 20 anos com uma bala alojada na cabeça. O sertanejo, que está com 41 anos, surpreendeu o público ao relatar a história até então desconhecida.

Segundo ele, quando era mais novo acabou sendo atingido por um disparo acidental em uma brincadeira com amigos. Maicon contou ainda, que o projétil nunca pôde ser retirado devido o risco dele perder a visão ou audição.

“A bala está até hoje na minha cabeça. Na época de moleque, fui na casa de um amigo acompanhado de um outro amigo. Quando chegamos lá, esse meu amigo foi mostrar as armas que a família dele tinha penduradas na parede. Ele pegou uma delas e brincou: ‘Já pensou se tivesse uma bala…’. E tinha mesmo. A arma foi disparada na direção da minha cabeça”, contou ele.

De acordo com Maicon, a orientação para que o sertanejo não retirasse o projétil veio dos médicos, que perceberam ao avaliar o caso que a bala estava localizada em um ponto delicado na cabeça dele.

“Não pude tirá-la porque está entre o nervo da visão e o da audição. Na hora em que foram abrir, o médico disse que não poderia tirar. Se tirar, fico cego ou surdo. Aí deixei. Só preciso ter cuidado para não bater uma bola ou coisa assim porque pode deslocar a bala”, afirmou o cantor.

A dupla Marlon e Maicon conta com uma série de músicas de sucesso, como ‘Por Te Amar Assim’, ‘Tudo me lembra você’, ‘Preciso de Você Agora’, ‘Sem palavras’, entre outras.

A dupla Marlon e Maicon- Foto: Reprodução/ Instagram

Envie fotos, vídeos, denúncias e reclamações para a equipe DM Online www.dm.jor.br pelo WhatsApp (62) 98322-6262 ou entre em contato pelo (62) 3267-1000.

Leia também:

Comentários