Entretenimento

Presidente da Universal Music é indiciado por internar a ex-mulher à força

Caso aconteceu em outubro de 2019.

diario da manha

O presidente da Universal Music foi indiciado por cárcere privado após internar a ex-mulher à força em uma clínica psiquiátrica. As informações são da revista Veja.

A delegada Natacha Oliveira, da 14ª DP (Leblon), indiciou Paulo Lima após a conclusão do inquérito policial e caberá ao Ministério Público do Rio de Janeiro a decisão de denunciá-lo.

Leia também: Irritado, Datena perde a paciência e dá bronca em sua equipe ao vivo: “Não precisa me respeitar”

O executivo é acusado de internar Helena Tavares à força em uma clínica no Rio de Janeiro. Ela foi diagnosticada como bipolar por uma psiquiatra indicada pelo presidente da gravadora.

A denúncia foi feita por Helena, que afirmou ter ficado 21 dias internada à força numa clínica psiquiátrica porque o marido não se conformava com o pedido de separação. Caso aconteceu em outubro de 2019.

A escritora contou que só saiu da clínica graças a uma pessoa que conheceu no estabelecimento e avisou o namorado. Ele acionou uma advogada para liberá-la da internação.

Leia também: Repórter da Globo dá salto de ginástica olímpica ao vivo e surpreende apresentadora; assista

No inquérito policial, o psiquiatra que atendeu Tavarez há três anos, Manoel Castro Sá, disse que a paciente não usava psicofármacos e não apresentava qualquer transtorno psiquiátrico.

A defesa do presidente da Universal Music alega que a internação foi recomendada por três profissionais diferentes. De acordo com Paulo Lima, médicos o disseram que a ex-mulher estava com “comportamentos estranhos” e que a bipolaridade foi encadeada pelo uso de medicamentos para emagrecer.

Leia também: Ministro descarta racionamento, mas diz que ‘trabalha para evitar apagão’

Comentários