Entretenimento

Antônia Fontenelle é novamente condenada em processo movido por Felipe Neto

No último sábado (2), a influencer já havia sido condenada em outro processo.

diario da manha

Nesta quinta-feira (7), Antônia Fontenelle foi novamente condenada em um processo movido por Felipe Neto. A condenação foi aplicada pela juíza Simone Cavalieri Frota, do 9º Juizado Especial Criminal da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

De acordo com a coluna Fábia Oliveira, do O Dia, a apresentadora foi condenada por chamar Felipe Neto de “vagabundo de merda” e se referir ao youtuber como “esse merda”. Por ser ré primária e ter bons antecedentes, a juíza optou pela pena de multa. 

Em seu perfil no Instagram, Fontenelle gravou storys comentando a condenação. “Acaba de sair mais três sentenças, duas o Felipe Neto perder e em uma eu fui punida de novo, multada em R$ 5 mil, por algo que eu nem sei. Foi algo menos grade do que ‘m*rda’, não sei o que eu falei. Em duas ele perdeu, nessa eu perdi, vou recorrer porque é primeira instância”, disse.

Leia também: Repórter da Globo se emociona ao noticiar 30 dias sem mortes por Covid no Rio Grande do Norte

No entanto, ao O Dia, as afirmações da influencer foram contestadas pelo advogado de Felipe Neto, André Perecmanis.

“Não é verdadeira a informação de Antônia Fontenelle, a qual diz ter sido condenada ao pagamento de apenas R$ 5 mil de multa pela propagação de ofensas contra o comunicador digital Felipe Neto. Assim como é igualmente mentirosa a afirmação de que o teria chamado de ‘feioso’. Na realidade, na segunda condenação que recebeu, foi imposto à mesma o pagamento de uma multa de aproximadamente R$ 126 mil  por tê-lo chamado de ‘merda’ e ‘vagabundo de merda’. Além disso, a expectativa é de que outras condenações ainda ocorram”, afirmou o advogado.

Leia também: Após substituir Silvio Santos, Patrícia Abravanel testa positivo para Covid-19 e cancela gravação

Antiga condenação

No último sábado (2), Antônia Fontenelle também foi condenada pelo crime de injúria contra Felipe Neto e terá de pagar R$ 63 mil a um fundo penitenciário.

A condenação é referente a uma postagem feita em julho de 2020 no Instagram. Na época, a apresentadora chamou o youtuber de “canalha” e “câncer da internet”.

Comentários