Cultura

Morre a atriz Françoise Forton, aos 64 anos

Forton participou de tramas marcantes ao longo das décadas, como O Semideus, Bebê a Bordo, Tieta, Meu Bem, Meu Mal, Explode Coração, Por Amor, O Clone, Amor À Vida e I Love Paraisópolis.

diario da manha
A atriz era casada com o produtor Eduardo Barata desde 2014, e deixa um filho, Guilherme

A atriz Françoise Forton morreu neste domingo, 16, aos 64 anos, no Rio de Janeiro, onde vinha tratando um câncer nos últimos tempos. Presente na TV desde a década de 1960, teve como principal destaque a novela Estúpido Cupido, em 1976, e como trabalhos mais recentes as novelas “Amor Sem Igual”, da Record, em 2019, e “Tempo de Amar”, da Globo, em 2017.

Também participou de outras tramas marcantes ao longo das décadas, como O Semideus, Bebê a Bordo, Tieta, Meu Bem, Meu Mal, Explode Coração, Por Amor, O Clone, Amor À Vida e I Love Paraisópolis.

Há alguns anos, Françoise foi tema da exposição Forton – A Incansável Guerreira da Arte, que trouxe imagens guardadas pelo colecionador Marcelo Del Cima, recuperando momentos marcantes de suas 45 peças, 32 novelas, participações em minisséries e seriados, além de nove longas.

“Eu calculava que fossem 45 anos, mas o pesquisador Daniel Marano descobriu recortes de jornal que falam da minha estreia profissional em 1966, aos 10 anos, ao lado de Glauce Rocha e Jorge Dória, na peça Pais Abstratos”, contou a atriz ao jornal O Estado de S. Paulo em 2016.

Em “Estúpido Cupido”, ambientada no começo dos anos 1960, interpretou a protagonista Maria Tereza, que tinha como objetivo de vida se tornar Miss Brasil e como namorado o ciumento João (Ricardo Blat). Com exceção dos dois capítulos finais, exibidos em cor, Estúpido Cupido foi a última novela da Globo gravada em preto em branco.

Além da novela, de 1976, estrelou também o musical “Estúpido Cupido”, no Teatro Gazeta, no primeiro semestre de 2016. Françoise relatava que, quando ia a festas e o DJ notava sua presença, logo tocava a música Estúpido Cupido, de Celly Campello. “Eu vejo como homenagem e até arrisco uns passinhos”, contava ao jornal O Estado de S. Paulo.

Segundo informações da colunista Fábia Oliveira, do portal IG, Françoise estava internada havia cerca de quatro meses na clínica São Vicente, na Gávea. A atriz era casada com o produtor Eduardo Barata desde 2014, e deixa um filho, Guilherme, além de duas enteadas, Maria Eduarda e Maria Antônia, filhas de Eduardo.

Nos palcos, também teve extensa carreira, desde a década de 1960, incluindo espetáculos recentes como “Nós Sempre Teremos Paris” (2014), “Estúpido Cupido” (2016) e “Um Amor de Vinil” (2016).

A atriz ainda participou de alguns reality shows, como a “Dança dos Famosos” (quadro do Domingão do Faustão), em 2015, e o Super Chef Celebridades (quadro do Mais Você, de Ana Maria Braga), em 2018.

Em 1989, Françoise foi diagnosticada com um câncer no colo do útero, superando a doença tempos depois. À época, gravava a novela “Tieta”. “Fiz todo o tratamento de radioterapia enquanto fazia a novela, acabei me dividindo entre o consultório médico e o estúdio de televisão.

Ao mesmo tempo, estava nos palcos com a peça “Na Sauna”, direção de Bibi Ferreira. “Acho que o meu ofício, a televisão e o teatro, me ajudou a passar por esse momento, porque me move profundamente. Me deu muita força. Não tive nem ao menos tempo de ir ao psicólogo, a arte era meu médico”, relatava a atriz ao site Heloisa Tolipan, em outubro de 2017.

A atriz era casada com o produtor Eduardo Barata desde 2014, e deixa um filho, Guilherme, além de duas enteadas, Maria Eduarda e Maria Antônia, filhas de Eduardo.

tags:

Comentários