Esportes

Retorno sem atritos

diario da manha
Mel Castro

Na apresentação de sua segunda passagem pelo comando técnico do Dragão, Marcelo Martelotte nega mágoas com presidente do conselho e esclarece que retirou ação

Álvaro de Castro Da editoria de Esportes

A confirmação oficial do novo técnico do Dragão não demorou acontecer. Na tarde de ontem, o novo comandante do do rubro-negro concedeu entrevista coletiva no CCT do Urias Magalhães. Ao seu lado, Maúricio Sampaio, presidente do clube, e Adson Batista, gerente de futebol.
Durante toda a conversa, Martelotte fez questão de ponderar todos os atritos com a diretoria atleticana, principalmente com o atual presidente do conselho deliberativo, Jovair Arantes: “Eu não tenho nada contra o Jovair, nem tive o ano passado, muito pelo contrário. Meu trabalho foi executado da mesma maneira. Entendo que a diretoria pode ir até a imprensa e colocar sua posição. Entendo também que, da melhor maneira possível, devemos estar atrás do melhor para o clube. E, muitas vezes, esse tipo de atitude não ajuda. Essas questões são simples e vou estar sempre preparado para lidar com isso”, ressaltou o técnico.
Sobre a chance de voltar ao Atlético, o treinador falou em tom de otimismo: “Nesse momento de decisão, o mais importante é ter regularidade. A gente não vai poder oscilar mais, por que isso pode resultar em desclassificação. Então, precisamos de uma equipe que busque manter o nível das atuações. Vai ser pouco tempo de trabalho, mas conseguindo um bom resultado sábado (contra o Itumbiara), vamos ter mais uma semana para trabalhar. Temos alguns fatores para melhorar e também temos aspectos positivos”, comentou.
A ação judicial movida por Martelotte contra o rubro-negro, que teve que ser retirada para o seu retorno fosse possível, também foi bastante falada na coletiva: “Essa exigência do clube vem com uma exigência também minha. É lógico que não caberia eu voltar a trabalhar no Atlético com uma ação judicial. O clube entendeu o processo que existia, eu entendi a necessidade de que um acordo fosse feito. A gente rapidamente chegou em uma resolução e esse problema foi concluído”, esclareceu o treinador.
Quem também esteve presente na coletiva de imprensa, foi o gerente de futebol Adson Batista: “É importante a presença de um profissional como o Martelotte. Um técnico que tem vontade de trabalhar aqui no Atlético. Estamos satisfeitos, é um técnico vitorioso. Entendeu a atual situação do clube e a filosofia do clube. E, acima de tudo, foi o treinador que mais demonstrou vontade de estar aqui nesse momento. Ele tirou a ação trabalhista, nós conversamos várias coisas que eram necessárias para termos um trabalho equilibrado”, finalizou Adson.

Comentários

Mais de Esportes