Esportes

River Plate sai na frente e precisa apenas do empate no jogo de volta

Boca precisa devolver o placar para ir para os pênaltis, ou por três gols para conquistar a classificação direta para a decisão

diario da manha
Foto: Reprodução

O River Plate recebeu o Boca Juniors pela partida de ida das semifinais da Libertadores da América 2019, em busca de uma vaga na final do torneio. E o atual campeão começou melhor e venceu o clássico pelo placar de 2 a 0.

Diante do seu torcedor o River começou melhor nos primeiros minutos, e aos 3′ do primeiro tempo, o atacante Borré recebeu dentro da área e foi derrubado pela marcação adversária.

O lance seguiu e o Boca partiu para o ataque, assim que a bola saiu, o árbitro brasileiro Rafael Klaus, foi chamado pelo árbitro de vídeo, VAR, para revisar o lance em que o atacante do River foi derrubado dentro da área, após a revisão, o pênalti foi assinalado para o atual campeão do torneio e Borré não desperdiçou, bola para um lado e goleiro para o outro 1 a 0.

A melhor jogada do Boca foi aos 17′ do primeiro tempo, Mac Allister aproveitou que o adversário saiu jogando errado, e arriscou de fora da área, mas o goleiro Armani apareceu para fazer a defesa e colocar a bola para escanteio.

Aos 39′ o River Plate quase ampliou, após disputa de bola, a defesa do Boca cortou, a bola voltou para o river e a bola chegou até o atacante Borré que bateu, mas a bola foi na trave. Entretanto não valia mais nada, pois a arbitragem marcou impedimento no lance.

Na jogada mais perigosa do Boca Juniors, aos 42′ do primeiro tempo, Ábila foi lançado e partiu na velocidade, cortou o marcador e tocou para Calpado de frente para o gol que isolou a bola, e perdeu a chance de deixar tudo igual no jogo.

A resposta do River Plate veio na sequência, jogada pelo lado esquerdo do ataque do atual campeão do torneio, Lopes tocou com o braço na bola, e foi marcada a falta, De La Cruz foi para a cobrança e deu trabalho para o goleiro Andrada que colocou a bola para escanteio.

River Plate dominou o segundo tempo e não deu chances ao adversário

Nos primeiros minutos do jogo o River criou a melhor chance e ainda carimbou a trave. Aos 10′ da etapa final de jogo, o lateral Montiel alçou a bola na área, o goleiro Andrada tirou o braço pensando que a bola iria para fora, mas ela bateu na trave e quase marcou o segundo do River Plate no jogo.

O Boca Junior tentou criar uma oportunidade aos 15′ da etapa complementar, mas perdeu a bola no ataque e o River Plate partiu no contra ataque, De La Cruz cruzou rasteira, e o lateral Más apareceu para cortar, bola bateu na cabeça do goleiro Andrada e saiu pela linha de fundo.

A equipe do River Plate começou a jogada no meio do campo, a bola chegou ao atacante Matías Suárez que cruzou rasteira para o meia Fernández que apareceu sozinho para ampliar o marcador 2 a 0.

Aos 39′ o River chegou mais uma vez, De La Cruz passou por dois e tocou para Matías Suárez na entrada da área, que levantou a cabeça e viu o goleiro adiantado, o atacante tentou por cobertura, mas Andrada estava esperto para fazer a defesa.

A melhor jogada do Boca Juniors aconteceu aos 31′ da etapa final, Sálvio recebeu e tocou para Capaldo que tentou por cobertura também, mas o goleiro Armani colocou para escanteio. A reposta do River veio na sequência, jogada pela esquerda do ataque, e após o cruzamento para dentro da área, Scocco apareceu para cabecear e a bola passou do lado do gol defendido por Andrada.

Aos 38′ o Boca Juniors teve a chance de diminuir, após cobrança de escanteio a bola sobrou com Tevez que tentou o vôleio, mas acertou a marcação, em um novo escanteio, a equipe xeneize teve mais uma chance, entretanto o cabeceio saiu fraco e ficou fácil para a defesa do goleiro Armani.

Com a vitória, o River Plate colocou um pê na final, e pode perder o jogo de volta no próximo dia (22/10) por até um gol de diferença que conquista a classificação para a decisão contra Flamengo ou Grêmio que começam a disputa pela vaga na noite desta quarta-feira (2/10).

Escalação:

River Plate: 1 – Armani, 29 – Montiel, 28 – Lucas Martínez, 22 – Pinola, 20 – Casco, 24 – Enzo Pérez, 15 – Palacios, 11 – De La Cruz (9 – Julián Álvares), 26 – Ignácio Fernández, 19 – Borré (30 – Scocco) e 7 – Matías Suárez (27 – Lucas Pratto).

Técnico: Marcelo Gallardo

Boca Juniors: 1- Andrada, 29 – Weigandt, 20 – Lisandro López, 24 – Izquierdoz, 3 – Más (19 – Zárate), 23 – Marcone, 14 – Capaldo, 8 – Mac Allister, 9 – Soldano (10 – Tevez), 30 – Reynoso (27 – Sálvio) e 17 – Ábila.

Técnico: Gustavo Alfaro

Árbitro: Rafael Klaus (BRA)

Comentários

Mais de Esportes