Esportes

Pró-Atleta paga mais duas parcelas e chega a R$ 2 milhões de investimentos em 2019

Programa retomado pelo Governo de Goiás beneficia 600 atletas do estado, da iniciação esportiva ao alto rendimento. Última parcela do ano será paga em dezembro

diario da manha
Foto: Atual campeão mundial militar de taekwondo, Fernando Manresa é um dos 600 contemplados pelo Pró-Atleta em Goiás

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), vem fomentando cada vez mais o desporto goiano, da iniciação infantil ao alto rendimento. Desde a recriação da pasta, no começo de 2019, a Seel não mediu esforços para voltar a colocar em atividade o programa Pró-Atleta, que concede bolsas a 600 desportistas goianos.

A lista oficial de atletas contemplados para esta temporada foi divulgada no mês de abril, e atendeu critérios de documentação estabelecidos pela Secretaria, e critérios técnicos de cada federação esportiva. As parcelas começaram a ser pagas no mês de agosto, sendo duas a cada mês, tendo sido quitadas oito até este mês de novembro, obedecendo o cronograma programado. A última parcela do ano será paga no mês de dezembro.

As bolsas do Pró-Atleta são divididas em três categorias (estudantil, estadual e nacional) e atendem desportistas de oito a 35 anos. Até aqui já foram investidos R$ 2 milhões em 2019, e mais R$ 250 mil serão destinados para a última parcela, totalizando um montante de R$ 2,25 milhões.

O recurso proveniente das bolsas é fundamental para a rotina esportiva de seus beneficiados, tanto no dia a dia para treinamentos, quanto na ocasião de competições. “Atualmente o programa é indispensável para a manutenção da carreira dos atletas goianos. Equipamentos esportivos demandam um custo alto, e também temos diversas competições que temos que participar para estarmos bem ranqu eados. O auxílio entra nessa parte de viagens e hospedagens, pois sem ele essa rotina seria inviável”, ressaltou o lutador de taekwondo Fernando Manresa, que recentemente conquistou o Mundial Militar da modalidade, em Chengdu, na China.

Para o lutador, a retomada e continuidade do programa pode impulsionar o desporto goiano a um patamar mais elevado. “Posso falar da minha modalidade, que é o taekwondo, que tem vários atletas contemplados, que estão crescendo demais a nível nacional, se destacando em competições e alcançando posições de destaque em rankings. Podemos dizer que hoje somos uma das potências nacionais, mas sem o Pró-Atleta nós não conseguiríamos”, concluiu Manresa.

Das 600 bolsas, 10% estão destinadas ao paradesporto, que vem passando por uma revolução na nova gestão da Seel. “O atleta no paradesporto, de uma forma geral, necessita mais de incentivo para continuar no esporte. Nesse sentido, o Pró-Atleta é fundamental. Não teria como manter os custos com treinamento e competições sem a bolsa”, ressaltou Jani Freitas, atleta do vôlei sentado e medalhista de bronze nas Paralimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, e prata no Para-Pan de Lima, em 2019.

Além de Jani, mais três atletas da seleção brasileira são de Goiás, que atualmente é uma potência nacional na modalidade. Todas são contempladas pelo programa.

Comentários

Mais de Esportes