Esportes

COI analisa expectativas e 2021 pode não ser ano das olimpíadas

Logo após o vice do COI retratar outubro como mês crítico para decidir futuro das Olimpíadas de Tóquio, japoneses apostam que só a partir de março é possível tomar decisão

diario da manha

Uma definição real sobre a real situação das Olimpíadas de Tóquio não deve ser transmitida antes de março de 2021. Após o vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) citar outubro como mês crítico para tal decisão, Toshiaki Endo, um dos vice-presidentes do Comitê Organizador dos Jogos, reiterou que vai ser necessário aguardar pelo menos até a próxima primavera do hemisfério norte para um possível suspensão das Olimpíadas em consequência do Covid-19.

– A escolha de atletas na chegada do próximo mês de março terá uma enorme dificuldade. O Comitê Organizador precisará acatar uma forma de decisão argumentando a situação da atualidade. Ainda resistem diversas projeções, e não sabemos qual será a situação do momento do coronavírus no próximo verão. Embora seja muito precipitada uma reunião para determinar a agenda dos Jogos que serão realizados – considerou Endo, segundo o jornal japonês “The Mainichi”.

A princípio as Olimpíadas de Tóquio tinha um cronograma definido para julho de 2020. Devido a pandemia do coronavírus, as atividade esportivas foram adiadas pela primeira vez na história e prorrogados para 23 de julho a 8 de agosto de 2021.

No entanto, ainda não há data determinada ou pré estabelecida para que a crise de saúde sanitária global seja controlada até o ano que vem. Por essa razão, o COI já reconheceu que a probabilidade de cancelar os Jogos.

*Com informações do Globoesporte

Comentários