Esportes

Decreto que endurece regras contra a Covid-19 proíbe futebol no estado

Quatro cidades do estado receberia seis partidas da Copa do Brasil nesta quarta e quinta-feira. FGF e CBF ainda não se pronunciaram

diario da manha
Decreto estadual passa a valer já nesta quarta-feira, 17 (Foto: Divulgação/Governo de Goiás)

O decreto publicado na manhã desta terça-feira (16) pelo Governo de Goiás devido ao avanço da Covid-19 no estado que traz além da retomada do sistema de revezamento das atividades a cada 14 dias e a proibição de flexibilização para municípios em estado de calamidade, a suspensão das atividades esportivas em todo território goiano.

O documento, que já passa a valer a partir desta quarta-feira (17), prevê que atividades não consideradas como essenciais funcionem de forma cílclica: fiquem suspensas por 14 dias e retomem normalmente nos 14 dias posteriores. Com as atividades desportivas suspensas, nem os treinamentos poderiam acontecer nesse período. Dessa forma, o futebol já pararia nesta quarta e só retornaria as atividades no dia primeiro de abril.

Além do Campeonato Goiano, o estado de Goiás receberá cinco partidas da Copa do Brasil nesta quarta e quinta-feira. Na quarta jogam Goianésia x CRB em Goianésia, Ypiranga-AP x Santa Cruz em Goiânia e Gama x Ponte Preta em Luziânia. No dia seguinte, Jaraguá x Manaus em Jaraguá, Real Brasília x América-RN em Luziânia e Porto Velho x Ferroviário-CE em Goiânia. As cidades de Jaraguá, Luziânia, Goiânia e Goianésia estão entre as 17 regiões do estado em situação de calamidade.

O Secretário Estadual da Casa Civil, Alan Tavares, disse em entrevista à Rádio Sagres que os eventos esportivos poderiam acontecer com os portões fechados, porém a Secretaria Estadual de Saúde confirmou que as atividades esportivas estão vetadas.

Segundo o governador Ronaldo Caiado, o decreto estadual deverá sobrepor o municipal. Das 18 regiões de Goiás, 17 estão em estado de calamidade. Apenas as cidades de Alvorada do Norte, Buritinópolis, Damianópolis, Guarani de Goiás, Iaciara, Mambai, Nova Roma, Posse, São Domingos, Simolândia e Sítio d’Abadia ainda permanecem em estado de situação crítica.

Comentários