Esportes

Brasil é eliminado pelo Canadá das Olimpíadas de Tóquio

Canadenses foram melhor durante toda a partida, e nas penalidades contaram com a goleira Labbé para defender duas duas cobranças e garantir a classificação para a próxima fase

diario da manha
Foto: Sam Robles/CBF

Pelas quartas de finais das Olimpíadas de Tóquio, Brasil e Canadá se enfrentaram pela quinta vez, desde a chegada da técnica Pia Sundhage para comandar a seleção brasileira feminina de futebol. Dentro de campo a equipe brasileira custou a se encontrar no jogo, e a partida terminou empatada em 0 a 0 no tempo normal.

A decisão da vaga foi para a prorrogação, mas mesmo no tempo extra após os 90 minutos regulamentares, porém nada mudou e o empate sem gols persistiu e a decisão foi para as penalidades.

Nas cobranças de pênaltis, Bárbara pegou o primeiro, mas Andressa Alves e Rafaelle pararam nas mãos da goleira Labbé e o Canadá venceu por 4 a 3 e conquistou a vaga nas semifinais dos Jogos de Tóquio.

O Jogo

Os primeiros três minutos começaram com o Canadá melhor em campo, e sem deixar o Brasil jogar. Após essa pressão inicial das canadenses, a equipe da técnica sueca Pia Sundhage conseguiu melhorar e encontrar o seu jogo na sequência, mas sem criatividade e ainda presa a marcação adversária.

Depois de igualar as ações, o Canadá teve a grande primeira chance do jogo, após cobrança de escanteio, a zaga brasileira afastou e no bate e rebate a bola caiu nos pés que Quinn que arriscou, mas a bola passou por cima do gol da goleira Bárbara.

Aos 14′ o Brasil respondeu ao ataque do Canadá, Tamires recebeu e só deu o tapa para Marta que devolveu, a lateral brasileira ficou de frente para o gol e arriscou, mas a bola passou por cima do gol de Labbé.

Depois de igualar as ações, o Brasil deixou novamente o Canadá tomar conta, e chegou novamente aos 20′ da primeira etapa, Laurence recebeu pela direita e cruzou, a zaga não cortou, mas a atacante Sinclair não conseguiu dominar e ficou fácil para a goleira Bárbara fazer a defesa.

Na sequência a pressão canadense fez em efeito e por pouco Fleming não abriu o placar, após a defesa brasileira afastar mal, a bola caiu nos pés da canadense que arriscou de fora da área, mas errou o alvo.

O Brasil tentava se encontrar em campo, e enquanto isso não acontecia, o Canadá aparecia com perigo e encontrava os espaços. E em uma das oportunidades Beckie foi lançada, mas chegou pressionada pela zagueira Rafaelle e com a marcação Beckie tentou meio sem jeito, mas a bola foi longe do gol.

Aos 33′ o Brasil se encontrou por um momento no jogo, jogada feita pela direita, a atacante Duda invadiu a área, chegou a ser derrubada e a árbitra da partida até marcou pênalti, mas depois marcou o impedimento. Na jogada o árbitro de vídeo chamou a árbitra para rever o lance, e checar um possível pênalti, mas anulou a marcação e deu bola ao chão para a defesa canadense.

Debinha teve a melhor chance do Brasil aos 40′ da etapa inicial, a atacante brasileira pressionou e ganhou a bola na defesa adversária, e saiu na cara da goleira Labbé que cresceu para fazer a defesa e evitar o gol brasileiro.

Com o jogo movimentado e com cada uma das equipes tendo praticamente uma chance clara para cada lado, Brasil e Canadá desceram para o intervalo com o jogo empatado sem gols.

Pouco mudou

Os primeiros cinco minutos começou como a primeira etapa, com o Canadá melhor em campo e pressionando a equipe brasileira. Em cobrança de falta a bola foi alçada na área e a goleira Bárbara apareceu para afastar o perigo.

Assim como na primeira etapa, depois da pressão inicial, o Brasil melhorou, e chegou aos 9′, Marta recebeu na entrada da área e tocou para Andressinha que arriscou, mas Labbé bem posicionada apareceu para fazer a defesa.

Duda fez falta pela esquerda, e tomou o cartão amarelo, na sequência a bola foi alçada na área pelo Canadá, Guilles cabeceou e a bola carimbou o travessão.

Aos 25′ da etapa complementar Tamires recebeu pela esquerda e encontrou Debinha, a atacante brasileira foi abrindo o espaço e arriscou, a goleira Labbé fez uma grande defesa.

Rose foi lançada aos 40′ da etapa final e saiu na cara do gol da goleira Bárbara, mas a zagueira Erika se recuperou e apareceu para colocar a bola para escanteio.

Prorrogação

No primeiro tempo da prorrogação pouca coisa mudou em relação a segunda etapa. E o Canadá criava, mas sem muito perigo, na melhor chance do Brasil, Ludmila recebeu na velocidade e dividiu com a goleira canadense que afastou o perigo.

Na etapa complementar o Brasil teve duas chances, primeiro com Andressa Alves que entrou na prorrogação e arriscou, mas parou na zaga adversária, na sequência foi a vez de Debinha que tentou, mas a bola passou longe do gol da goleira Labbé.

Na melhor chance da prorrogação após cobrança de escanteio de Andressa Alves, a zaga do Canadá afastou, mas sobrou com o Brasil, que levantou na área novamente e Érika apareceu para cabecear no canto, no entanto, a goleira Labbé apareceu para fazer a defesa e evitar o perigo.

Pênaltis:

Sinclair abriu as cobranças para o Canadá e a goleira Bárbara defendeu, Marta não deu nem chance para a goleira adversária e colocou o Brasil na frente; Fleming bateu no canto e deixou tudo igual, mas a goleira brasileira foi na bola; Debinha voltou a deixar o Brasil na frente, mesmo com a goleira Labbé acertando o canto; Laurence foi para a terceira cobrança do Canadá e deixou tudo igual; Érika foi para cobrou e não deixou a goleira adversária nem sair na foto para fazer 3 a 2; Leon que entrou na prorrogação foi para a cobrança e empatou o jogo 3 a 3; Andressa Alves teve a chance de deixar o Brasil na frente, mas a goleira Labbé acertou o canto e defendeu e deixar o Canadá vivo na disputa; Guilles foi para a quinta e última cobrança do Canadá e não deu chances para a goleira brasileira; Rafaelle foi a última cobrança brasileira e a goleira Labbé defendeu e com isso o Brasil foi eliminado pelo Canadá.

Leia também:

Comentários