Esportes

Atletas goianos são destaque em competições locais e internacionais

Goiânia tem sido destaque com a presença de atletas pelo Brasil e pelo mundo

diario da manha
Foto: Fernando Soutello/AGIF

Fundada no dia 24 de outubro 1933, pelo médico Pedro Ludovico Teixeira, Goiânia tinha como principal objetivo descentralizar o poder concentrado nas mãos das famílias Caiado, Lima e Bulhões. Além disso, continha a ideia de transferir a antiga capital – atualmente conhecida como Goiás Velho – para uma região localizada mais ao sul e que representasse bem a pecuária do estado de Goiás.

Goiânia tem sido destaque com a presença de atletas pelo Brasil e pelo mundo. Assim, vale a pena destacar a importância de Michael de Oliveira e Túlio Maravilha para o futebol goiano; e Roberto Boettcher no BRMX.

Brilha menino Michael de Oliveira

Embora não tenha nascido em Goiânia, o mato-grossense Michael de Oliveira mudou-se para a capital após ter sido alvo de seis tentativas de assassinato por conta de dívidas com drogas. Em 2015, Michael jogava como amador para o Euro Brasil, quando foi contratado pelo Monte Cristo. No mesmo ano, estreou em jogo contra o Caldas Esporte Clube, na terceira divisão do Campeonato Goiano.

Em 2016, foi contratado pelo Goianésia e destacou-se após um hat-trick na goleada de 5 a 1 diante do Vila Nova. E em 2017, atuou pelo Goiás, incialmente, como substituto de Jean Carlos. Apesar da derrota por 1 a 0, o ponta tornou-se importante ferramenta para o clube esmeraldino com sete gols e nove assistências em 33 partidas na Série B em 2018. E em 2019, foi peça chave na equipe, que, em 35 jogos, goleou nove vezes e fez cinco assistências.

Por outro lado, Michael saiu do Goiás em 2020 e assinou com o Flamengo como reforço do elenco principal até 2024. E até o momento, é o jogador com maior número de assistências no futebol brasileiro.

Os 1000 gols de Túlio Maravilha

Autor de 1000 gols, o goiano Túlio “Maravilha” Humberto Pereira Costa nasceu em 2 de junho de 1969 e fez carreira brilhante no Campeonato Brasileiro de Futebol da Série A.

Maravilha iniciou carreira no Goiás em 1987, e fez seu primeiro jogo profissional em 12 de março daquele mesmo ano. Sob os olhares de Luiz Felipe Scolari, goleou Ceres por 4 x 0. Dois anos depois, recebeu o seu primeiro título no Campeonato Goiano. E aos 20 anos de idade, foi dado o melhor artilheiro do Campeonato Brasileiro, com 11 gols marcados.

Em 1992, Túlio fez parte do Football Club Sion, da Suíça. Lá, marcou 64 gols, porém somente 19 foram contabilizados pela Federação Suíça de Futebol. Anos mais tarde foi chamado para servir a Seleção Suíça, mas recusou por conta da dificuldade de adaptação ao clima europeu.

Túlio encerrou a carreira em 2019, aos 49 anos.

As 125 cilindradas de Roberto Boettcher

Já Roberto Boettcher foi tricampeão brasileiro de motocross ao disputar em uma Yamaha 1983. Por outro lado, Roberto traz consigo vitórias em outras duas categorias de motocross em 1975 e 1979, sendo o único brasileiro a disputar o Mundial de Motocross em uma 125 cilindradas.

Entretanto, Roberto contou com o “paitrocínio” e o apoio do Governo de Goiás para avançar nas 12 etapas do Mundial de MX.

“Não tinha nenhuma informação sobre o Mundial. Eram outros tempos. Tudo que eu tinha acesso eram umas revistas alemãs que meu pai importava. Eu só olhava as fotos. Mas fui mesmo assim. Fui eu e o Zé Augusto Cruz Toledo, engenheiro mecânico, amigo, falava inglês e francês. Ele era meu preparador, meu motorista, fazia tudo pra mim. Ficamos na Holanda e eu corri todas as etapas. Classifiquei entre os 20 melhores em todas. Fiz nono, décimo, décimo primeiro. Mas precisava de mais uns dois anos para andar na frente”, contou ao site BRMX.

Além disso, foi pioneiro em importar legalmente uma moto para o Brasil, uma vez que seu pai era dono de uma concessionária Yamaha. Após o tricampeonato, parou de competir profissionalmente e ajudou a fincar a Federação Goiana de Motociclismo. Atualmente compete provas esporádicas de Cross Country Over 45.

Comentários