Cotidiano

Hulk notifica o Goiás e solicita retratação pública, após ser acusado de vandalismo

O jogador negou ter sido o autor do vandalismo e, no domingo, notificou extrajudicialmente ao Verdão, com pedido de retratação pública.

diario da manha

No duelo entre Goiás e Atlético-MG, o atacante Hulk foi acusado pelo clube esmeraldino de ter chutado a porta do vestiário de arbitragem da partida com danos materiais. Entretanto, o jogador negou ter sido o autor do vandalismo e, no domingo, notificou extrajudicialmente ao Verdão, com pedido de retratação pública.

O confronto aconteceu no último sábado, 30, e parece ainda não ter acabado, pois está gerando repercussão envolvendo o atacante Hulk. Após o empate na Serrinha, a assessoria do Goiás notificou que Hulk teria dado um chute na porta da sala da equipe de arbitragem. A porta ficou claramente amassada em uma foto divulgada. Com isso, o jogador tratou de negar que foi ele o autor do vandalismo. 

A assessoria do Atlético-MG se manifestou dizendo que o atacante estaria em outro local do estádio da Serrinha no momento em que isso aconteceu. A notificação que Hulk enviou ao Goiás remete o período de 24 horas para uma retratação pública e evitar que o jogador entre com ações judiciais e esportivas. 

O atleta foi informado do suposto chute através de um aplicativo de mensagem pela assessoria do clube. Esse caso poderia se encaixar em uma denúncia no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no artigo Art. 243-D (“Incitar publicamente o ódio ou a violência”), e no 243-F (“Ofender alguém em sua honra, por fato diretamente relacionado ao desporto”).

A advogada do jogador notificou na peça extrajudicial que Hulk nunca adotou atitudes violentas na resolução de problemas, e que a acusação do Goiás atinge diretamente a sua imagem, principalmente sendo um jogador de forte ligação com o público jovem. Em seu Instagram, Hulk se manifestou imediatamente dizendo que a acusação era “fake news”, e afirmou que “Acusar alguém pelo que não fez é crime”.

De acordo com a notificação, é ressaltado que o atacante sequer foi citado na súmula da partida comandada pelo árbitro Bruno Arleu, exceto no campo de cartões amarelos, em que o jogador foi advertido após abordar o árbitro quando ele marcou pênalti ao Goiás após  consulta ao VAR.

Comentários