Goiás

As incertezas do retorno das aulas presenciais

diario da manha
Foto/Alunos na pandemia/aulas presenciais.Pexels

O retorno das aulas presenciais sem dúvida é um dos momentos mais esperados pelos alunos. Sejam os alunos dos setores privados e públicos o retorno das aulas depois de quase um ano e meio em casa, em ensino remoto, é muito aguardado. O assunto ainda gera muito debate diante do colapso da saúde pública no país e do processo lento de vacinação.

Alguns estados, o Governo já decretou o retorno do ensino presencial. Dentre eles o Ceará (que foi liberado o ensino médio) e o Mato Grosso. O Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) se manifestou contra o retorno presencial sem que os profissionais estejam todos imunizados contra a Covid-19. Dentro desse impasse se volta ou não as aulas presenciais, especialistas afirmam que os danos causados pelo ensino remoto tem sido consideráveis, já que o rendimento escolar caiu para 50%.

Outro fator a ser considerado, é que ao voltar as aulas na modalidade presencial, diversos alunos poderão estar sujeitos a contaminação do vírus. Por isso, a discussão sobre os novos rumos da pandemia, da vacinação e das aulas, são questões discutidas frequentemente. Parente ao cenário atual, o retorno das aulas parece cada vez mais longe.

Para o estudante Sinval Lopes, o retorno das aulas é imprescindível. “Eu quero o retorno das aulas presenciais, pois este é o único setor que ainda não voltou as atividades presenciais. Entendo os riscos que estamos expostos, mas com cuidado e cautela necessários podemos voltar. Essas aulas online estão sobrecarregando todos os alunos e claro, também os professores. Sinto muita falta das aulas presenciais e dos laboratórios da Faculdade. O ensino remoto não é a mesma coisa do ensino presencial e a grande maioria dos alunos da minha turma desejam o retorno o quanto antes”.

“Não acho justo a educação pagar um preço tão alto por conta da falta de iniciativa do governo em considerar as aulas como atividade essencial. Se o futuro é a educação, e não dão a devida atenção, o futuro está em risco”.

Para a professora, mestre em comunicação Elaine Frazão, o retorno das aulas presenciais é uma necessidades tantos dos alunos quanto dos professores, “assim como o retorno a vida normal”. Mas mediante ao contexto da pandemia a vacina é a melhor alternativa antes do retorno presencial.

“Enquanto professora universitária, compreendo que para segurança de todos no ambiente acadêmico é mais interessante um retorno as aulas com a vacinação de toda a população… é importante que tenhamos minimamente a vacinação dos professores universitários para viabilizarmos um processo de retorno seguro”, ressaltou.

Além disso, Elaine sugere que o ensino híbrido, com os devidos cuidados, pode ser uma boa opção para promover o acesso de alunos a disciplinas práticas, e também o regime alternado para as disciplinas teóricas.

“Não são escolhas fáceis nessa situação, qualquer que seja a decisão de retorno ou suspensão das aulas presenciais, existirão consequências que levarão a acertos ou erros, mas aos poucos vamos tentando fazer a vida voltar ao normal. O desejo que sempre temos, enquanto professores, é o retorno às aulas o mais breve possível”.

O DM tentou entrar em contato com a Secretária de Educação do Estado, porém não tivemos o retorno. Além disso a assessoria do Governador Ronaldo Caiado também não retornou aos nossos e-mails sobre o possível retorno das aulas e a posição do estado sobre o assunto.

Comentários