Cidades

Homem é investigado por estelionato em operação “Chiquita” ao utilizar cheques fraudados

O estelionatário identificava rotina de funcionamento do local, os nomes dos sócios e proprietários

diario da manha

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO), cumpriu um mandato de prisão preventiva na tarde desta quinta-feira, 9, ao investigado pela prática de crimes de estelionato por meio do uso de cheque falso, Jair Ferreira Filho, 51 anos.

Após policiais assistirem a uma reportagem num programa de televisão no dia 11 de abril, a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (GREF/DEIC) tomou conhecimento de que alguns comerciantes da região metropolitana de Goiânia estavam sendo vítimas de uma série de crimes de estelionato, sempre com o mesmo método de ação, onde o preso utilizava cheques fraudados.

Na reportagem, era mostrado que inicialmente o suspeito analisava a região dos comércios antes de agir, na maioria das vezes os lugares escolhidos eram distribuidoras de bebidas e açougues.

O estelionatário identificava rotina de funcionamento do local, os nomes dos sócios e proprietários. Logo em seguida entrava no estabelecimento e se passava por cliente antigo, amigo ou até mesmo conhecido do proprietário. Ele dizia aos funcionários que tinha autorização do dono da loja para comprar os produtos e pagar as compras com o cheque (fraudado).

Ao ganhar a confiança dos funcionários, o investigado pegava vários produtos e realizava então o pagamento com os cheques falsos. Porém ao tentar descontar o pagamento, a vítima descobria que tinha caído no popular golpe “chiquita”.

Foram identificadas cerca de 7 vítimas. Os crimes ocorram entre os dias 22 de agosto de 2020 à 10 de abril de 2021, gerando prejuízos de mais de R$ 2 mil para os comerciantes de Goiânia e de Aparecida de Goiânia.

Com o mandato de prisão preventiva, o investigado ficará no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, à disposição do Poder Judiciário, e poderá ser condenado pela prática de 7 crimes de estelionato.

Comentários