Internacional

Mulher é presa por matar empregada domestica em Singapura

Segundo a Juíza responsável pela sentença, o crime foi considerado como um dos piores tipo de morte,

diario da manha

Uma mulher foi condenada a 30 anos de prisão em Singapura, por agredir, deixar passar fome e matar a empregada doméstica que trabalhava em sua residência.

Segundo a Juíza responsável pela sentença, o crime foi considerado como um dos piores tipo de morte, ou seja a vítima foi pisoteada, asfixiada, estrangulada, queimada com ferro, em outras palavras um crime acometido com requintes de crueldades até a morte.

A vítima Piang Ngaih de 24 era imigrante de mianmar, sofria diariamente pelas agressões de Gaiyathiri Murugaya de 41 anos, mas tudo o que acontecia eram registradas por câmeras de segurança dentro da própria casa .

A secretária do lar tinha apenas o direito de dormir cinco horas por noites, quando usava o banheiro para tomar banho ou fazer as necessidades fisiológicas tinha que ser com a porta do banheiro aberta, ela já se encontrava em uma situação de desnutrição , no qual pesava antes apenas 24 quilos.

O juiz See Kee Oon se estarreceu com o crime, criticou a impiedade de Gaiyathiri Murugayan da espantosa conduta, Mas apesar da punição, não foi condenada por prisão perpetua.

Na Parte nobre de Singapura aproximadamente 250 mil mulheres trabalham como empregadas domestica, a maior quantidade dessas mulheres vem de países de baixo poder aquisitivo e muitas delas sofrem maus-tratos.

As acusações

O Delito deste fato acorreu em 2016, Gaiyathiri foi presa , mas somente na última Terça-feira (22), a pena foi divulgada, a autora do crime compareceu no tribunal de óculos e mascara preta , ficou o tempo todo com os olhos fechados , mas quando ouviu sua sentença inclinou a cabeça.

Transtorno obsessivo compulsivo de depressão foi o que o juiz entendeu e levou em consideração relacionado a Murugayan , por este motivo não foi condenada a prisão perpetua .

tags:

Comentários