Internacional

Não permitiremos que China isole Taiwan, diz Pelosi em Tóquio

Além disso, Pelosi disse que sua presença em Taipé não tratou sobre uma mudança no "status quo" de Taiwan, que é reconhecido pelo chamado principio da "Uma China"

diario da manha
Por Matheus Andrade

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, afirmou nesta sexta-feira, 5, que o país “não permitirá” que a China isole Taiwan. A declaração foi feita em um discurso em Tóquio, depois que sua visita à ilha causou reações negativas de Pequim. Além disso, Pelosi disse que sua presença em Taipé não tratou sobre uma mudança no “status quo” de Taiwan, que é reconhecido pelo chamado principio da “Uma China”.

Pelosi disse que Pequim não irá impedir que líderes americanos viajem a Taiwan, e que visitas de alto nível continuarão ocorrendo, inclusive em âmbito bipartidário. Segundo ela, a presença em Taipé ocorreu para reforçar as relações entre os Estados Unidos e Taiwan e tudo o que foi feito teve em vista manter a paz no Estreito de Taiwan.

Em Tóquio, Pelosi concluiu sua visita ao Indo-Pacífico. Enquanto isso, exercícios militares chineses prosseguiram nos arredores da ilha, em uma escalada de tensões que analistas avaliam que pode superar a última grande crise no Estreito de Taiwan, em 1996.

Nesta sexta, o primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, condenou o disparo de mísseis balísticos durante os exercícios militares, cinco dos quais Tóquio acredita que aterrissaram em sua zona econômica exclusiva. “É um problema grave que afeta nossa segurança nacional e a segurança de nossos cidadãos”, afirmou o japonês. (Com agências internacionais).

Leia também:

Comentários