Opinião

Memórias da universidade

diario da manha

Ruy da Penha Lôbo Especial para  Opiniãopública

Era o ano de 2004, eu, Diocleciano Marçal, acalentava o sonho que tinha de conseguir entrar para uma universidade, eis que com ajuda de parentes inscrevo para a Universidade Sociedade da Esperança de grande conceito em Guaratanata, interior de Goiás, ao fazer a inscrição conto os dias para as provas do vestibular e conseguir ingressar na universidade e estudar História, que era o grande sonho da minha vida.
Enfim, chega o dia 9 de junho, era uma manhã fria com nervosismo e expectativa chego a universidade que ficava no Bairro Universitário Porto da Educação, um setor rodeado de grandes universidades, que constavam como as melhores da cidade, ao entrar no recinto preparava com ansiedade para as provas e com calma as nove horas da manha se iniciou o périplo de minha jornada estudantil rumo à concretização de minhas aspirações que depois se tornaria uma eterna realidade esplendidas de saberes.
Após muitas horas resolvendo as questões do vestibular, concluo as provas referentes a questionários de várias disciplinas: Português, Matemática, História, Química, Física e Geografia e língua estrangeira e então por ultimo vou para a prova de redação onde redijo um bom texto chamado O Universo da Curiosidade, destacando que o cientista é um individuo que através da curiosidade busca compreender os enigmas da vida e sua evolução através dos tempos passados e futuros.
Após longas horas de estudo das provas, antes de terminar o tempo previsto que era ao meio dia entrego as provas com os cartões-respostas e vou para casa idealizando grandes projetos para o meu destino que fortaleceria com o passar dos tempos. A esperança sempre foi um marco importante em meu pensamento sentindo que algo de bom iria acontecer no dia 13 de julho, deste mesmo ano vou ao escritório de contabilidade de meu irmão Constantino que era contador e sempre me ajudava nos momentos difíceis e também todos meus irmãos, e ao acessar o site da universidade e consultar o curso vi que todos os meus anseios estavam se tornando verdadeiros, havia sido aprovado em primeiro lugar em História e com isso a alegria dominava meu coração, mas sabia que teria muitas dificuldades, mas não me abalaria, pois teria muitos obstáculos a ultrapassar tendo a certeza que venceria e consolidaria todo o arcabouço de objetivos a conceber e que eram imensos e de infinitas possibilidades.
Entusiasmado e feliz, preparava para fazer a matrícula em agosto deste mesmo ano sem saber como custear as mensalidades, foi que vendo a minha angustia minha irmã Catarina, jornalista e bem de situação financeiramente se sensibilizou com a minha situação e vontade de estudar e se prontificou a pagar todo o curso até o seu termino para que pudesse ter a alegria da motivação tão essencial para quem quer subir na vida, em agosto, mas precisamente no dia 2 de Agosto, eu, Diocleciano, e minha irmã Catarina fomos a Universidade e efetivamos a matricula onde ficaria sabendo que as aulas se iniciariam no dia 11 de agosto uma segunda feira que se tornaria imortalizada em minha vida como uma data que seria o sentido de minha ascensão profissional.
Enfim, chega esse dia e a ansiedade de ir para a universidade e conhecer novas pessoas e novas estruturas de conhecimento para nortear um grande desejo de ser um historiador este fato deixaria lembranças pela vida toda como uma fortaleza que não seria derrubada mesmo com as enormes vicissitudes que seriam muitas, mas, as romperia com a certeza da vitória, nas aulas a cada dia sentia que aquele mundo estava sendo conquistado a cada segundo e minuto superando o microcosmo de realidade em que vivia, com ajuda de meu pai que sempre me estimulou Juarez Marçal que sempre dizia que os obstáculos existem para serem vencidos, teria a força para sobrepor as adversidades que viriam pela frente e também com ajuda de uma colega que se tornaria importante que, mas a frente faria parte de minha vida que é Solange Ramalho uma moça linda, alegre com um sorriso encantador que desde o primeiro instante conquistou meu coração e fomos nos afeiçoando um ao outro e por fim namoramos e por conseguinte casamos e formamos um lar. Ao concluir a universidade, senti que aqueles momentos se tornariam únicos e estavam ficando para trás e o que sobraria seriam grandes arquivos de recordações de tempos remotos em nossas vidas no ano de 2008 em fevereiro, eu, Diocleciano, juntamente com Solange e outros colegas, celebraríamos com felicidade a colação de grau de futuras conquistas que se materializariam no conjunto de determinações a serem delineadas.
Hoje, no ano de 2014, eu, Diocleciano Marçal, sou casado com Solange onde estudei bastante fiz mestrado em História e Solange também temos dois filhos Sônia e Paulo ambos tanto eu como Solange ministramos a disciplina de História em universidades em Goiânia e somos felizes com a escolha que fizemos, pois foi fruto de um tempo de grandes lutas que permaneceriam no inconsciente dos meus pensamentos, conversando com amigos entre eles Manuel Inácio soube que o curso de História que funcionava em um prédio antigo não estava no mesmo lugar tendo seu funcionamento em um prédio de instalações modernas de arquiteturas arrojadas, mas que não constava das páginas do passado da minha vida, de minhas emoções que são Memórias da universidade que ficarão em meu pensamento sabendo que toda a alegria habitara em meu coração mesmo com a passagem dos tempos então.

(Ruy da Penha Lôbo, graduado em Letras Espanhol-PUC-GO – blog http://imruy.blogspot.com twitter: @ penha Lobo – residente em Bonfinópolis – Goiás)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais