Opinião

O aquecimento global e a biodiversidade

Dhyego Fonseca ,Especial para Opinião Pública

diario da manha

A biodiversidade e os ecossistemas sofrem interferências significativas se tratando das mudanças climáticas, distribuição de espécies, migração, endemismo e até mesmo tamanho das populações são afetados por esses determinados impactos. Existem estudos que comprovam que até 2050 serão extintas diversas espécies e áreas geográficas também serão reduzidas.

O aquecimento global reflete grandes consequências, sendo a mais preocupante o fenômeno do degelo, pois a biodiversidade, em especifico do Ártico, vem sendo diminuída, visto que esse fenômeno vem causando a elevação no nível dos oceanos e com isso consequentemente afetaram as características básicas de todo o meio ambiente e de suas respectivas estruturas.

Segundo Proceedings of the National Academy of Sciences (Pnas), o aquecimento global não possui apenas um lado ruim, levando para o lado da extinção, diversas espécies possuem capacidades adaptativas de acordo com seu potencial genético, e isso levaria um possível surgimento de mutações onde se tornariam propicias para o surgimento de novas espécies e afirma ainda que os números de espécies tendem a aumentar de acordo com a temperatura elevada do planeta. Embora o aumento de temperatura esteja ligado com o surgimento dessas novas espécies, está ligado também com a grande extinção, porém se levado em consideração a uma escala de tempo, o número de novas espécies seriam maiores do que as extintas.

Se tratando de assuntos referentes ao aquecimento global, existe uma grande controversa, pois de um lado, cientistas acreditam na adaptação e manutenção de espécies sobre as mudanças climáticas, já por outro lado, biólogos afirmam que esses impactos referentes a essas mudanças terão consequências significantes sobre a riqueza de espécies e no mundo em geral.

Conscientização não mais é uma proposta suficiente, pois hoje, assuntos sobre o aquecimento global se tornou algo clichê, conhecimento sobre as consequências todo mundo já tem, então cabe somente cada um ter ciência de suas atitudes, responsabilidade e bom senso sobre seus atos e a partir disso tomar atitudes mais sensatas a fim de melhorar as condições agravantes do planeta, como: locomover em transportes mais eficientes que menos libera CO2 na atmosfera, colaborar para o sistema de coleta seletiva, implantar programas de reflorestamento e arborização e explorar fontes renováveis na geração de energia. Lembrando que o aquecimento global não afeta apenas a biodiversidade, se lembrarmos dos eventos de extinção na pré-história, o grande causador seria os vulcanismos, e se for comparado com os dias atuais, estamos caminhando para o mesmo destino, porém estamos trocando os vulcões por elementos de destruições, elementos esses provocados e manipulados por nós seres humanos. Agora é o momento que temos para agir, pois quanto mais esperarmos, menos escolhas nós teremos e cada vez mais perderemos…

(Dhyego Fonseca, acadêmico de Ciências Biológicas pela Universidade Católica de Goiás e estagiário no Centro de Biologia Aquática – CBA)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais