Opinião

Bariani Ortêncio é homenageado pelas escolas estaduais de Aparecida de Goiânia

Edson Barbosa ,Especial para Opinião Pública

diario da manha

 

A cultura está entrelaçada na educação, vemos vários artistas comentarem que o seu início no mundo da arte aconteceu na escola. Mesmo com tanto acesso nas redes sociais, muitos alunos acabam não tendo o contato direto com o artista. As escolas estaduais de Aparecida de Goiânia fizeram há pouco tempo uma homenagem ao escritor Bariani Ortêncio e ao mesmo tempo apresentaram aos alunos o escritor. Paulista, Waldomiro Bariani Ortêncio veio para Goiânia em 1938, foi um dos fundadores da União Brasileira de Escritores-seção Goiás. Conversei com ele durante a homenagem.

Qual o sentimento de ser homenageado pela educação? – Bariani Ortêncio: “Eu faço um trabalho de incentivo à leitura dentro das escolas, então, quando você recebe uma homenagem é porque o seu trabalho é reconhecido, eu fico muito agradecido.”

Cultura e educação tem ligação? – Bariani Ortêncio: “Cultura e educação se casam, porque a cultura vem da escola, educação vem de casa, se a criança não tem um incentivo dos pais, nunca será um bom aluno. Cultura e educação devem caminhar juntas.”

Hoje nós temos o Enem que não incluiu as obras literárias, como tinha na UFG, eram seis obras que caiam no vestibular, as pessoas adquiriam e faziam a leitura, pois caia no vestibular. Como está a literatura dentro da escola? – Bariani Ortêncio: “Se você for em Minas Gerais, noventa por cento dos escritores caem no vestibular, aqui em Goiás só entra um. Com a lei de 69 que agora está sendo cumprida, obriga as escolas a trabalharem os autores goianos, então, agora melhorou muito.”

As pessoas tem o hábito de pensar que aluno é em sala de aula vendo um quadro, tendo uma aula mais tradicional, agora, o senhor aqui, participando, sendo homenageado na mostra cultura e vendo essa ação das escolas saindo da sala de aula, colocando a cultura na mão dos alunos, eles mergulhados  na cultura , com apresentações. – Bariani Ortêncio: “Nunca vi tantas escolas reunidas como estou vendo agora, então, a subsecretaria de Aparecida está de parabéns, pois, participamos com orgulho desta mostra cultural.”

Quando o autor está próximo do aluno e do professor, motiva-os a conhecerem as obras daquele autor. – Bariani Ortêncio: “O aluno quando lê um livro acha que o autor é inatingível. Porém, quando conhece ele vê que é alguém igual a ele. Os professores estão de parabéns, obrigado por cuidar dos nossos filhos. Escola pública hoje tem qualidade.”

Conversei também com a professora Idelma Oliveira, subsecretária de educação de Aparecida de Goiânia. O que consiste a mostra? – Idelma: “É a culminância de todos os projetos realizados nas unidades educacionais da Regional de Aparecida de Goiânia, num total de oitenta e sete escolas.”

Cada unidade escolar traz um projeto? – Idelma: “Traz um projeto, as atividades realizadas, não só pelos alunos, professores, mas também com o apoio da unidade escolar e da comunidade escolar como um todo.”

São projetos voltados mais para a parte cientifica ou cultural? – Idelma: “Uma mistura, porém, predomina a parte cultural. Homenageamos Bariani Ortêncio, as escolas trabalharam o autor e agora é a culminância com a apresentação desses trabalhos, um momento de socialização com a presença do escritor. A cultura e a educação estão interligados, hoje nós temos na nossa regional a Casa de Arte, um olhar sem fronteira que tem dado todo o suporte nas unidades educacionais, no sentindo das bandas, teatro, música, dança e pintura.”

Normalmente o ensino é tradicional, aluno em sala de aula de frente para o quadro-negro, aqui nós estamos vendo de uma forma diferente, tirar o aluno da sala de aula ajuda no seu aprendizado? – Idelma: “Ajuda é um momento rico para que os alunos de unidades educacionais diversas e também municípios diferentes participem dessa socialização e também mostrar o que cada unidade escolar tem feito, tem produzido. É um momento rico, já estamos na nona Mostra Cultural.”

A mostra também contou com a participação de vários professores, os quais ministraram oficinas para os colegas, Ione Rodrigues, coordenadora do núcleo pedagógico da subsecretaria comenta que: “Os professores que se destacaram no decorrer do ano replicam suas experiências demostrando que é possível desenvolver aquele na escola.”

Os alunos participaram ativamente de todo o processo para a realização da mostra cultural conforme comentou a Gestora Gilma Ferreira: “O aluno se sente valorizado, importante dentro da unidade escolar.”

São ações como essas que tornam as escolas mais atrativas para os alunos, esperamos mais projetos como esse, cultura e educação caminhado juntas para o desenvolvimento dos nossos discentes.

 

(Edson Barbosa, escritor, fotógrafo, educador, produtor cultural –  [email protected])

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais