Opinião

Um futuro promissor

Luiz Gonzaga Bertelli ,Especial para Opinião Pública

diario da manha

 

Foram três dias de intensas atividades no Pavilhão da Bienal do Parque Ibirapuera. Os jovens que foram a 18ª Feira do Estudante – Expo CIEE 2015, no fim de semana passado, têm muita história para contar. Uns saíram de lá felizes por realizar in loco provas para o processo seletivo da Prefeitura de São Paulo ou do Tribunal de Justiça. Outros acompanharam palestras disputadíssimas, com personalidades e especialistas que deram um panorama atual sobre o mercado de trabalho. Pelos corredores, meninas felizes por acompanhar de perto seus ídolos como o músico MC Gui, que fez um show animado e deu total apoio à causa do Aprendiz Legal.

Os rapazes também se animaram nas batalhas de rap, nas quais os artistas faziam competentes improvisações. Os pais que foram à Expo CIEE conheceram nos 80 estandes da feira opções de universidades e cursos de extensão para a especialização do filho. Mas o que a maioria dos visitantes procurava, na realidade, era uma oportunidade.

O Cyber CIEE, local em que os jovens se cadastravam para buscar vagas de estágio ou aprendizagem, ficou lotado durante os três dias de evento. E muitos saíram com sorriso aberto, já encaminhados para uma entrevista de emprego, por meio do Aprendiz Legal, ou de estágio em empresas conveniadas. Na opinião de artistas como MC Guimê, que foi uma das presenças em destaque na feira, “o importante é mostrar para a galera que é possível vencer na vida”, com formação profissional, com capacitação prática, muito estudo e força de vontade.

A Expo CIEE mostrou mais uma vez que a juventude está preocupada e com desejo de se inserir de vez no mercado de trabalho. Com a desaceleração da economia, como disse a jornalista Denise Campos de Toledo, que proferiu palestra durante a feira, os jovens precisam entrar no mercado mais cedo porque as despesas familiares aumentaram e ficou mais difícil manter-se nos estudos. Por conta disso, o CIEE chama atenção para a força do estágio, que, além de capacitar o jovem na profissão, ainda ajuda no orçamento familiar, pela bolsa-auxílio que o estagiário recebe. Com o estágio e a aprendizagem, o jovem pode estudar, se capacitar e ainda ter uma fonte de renda, dedicando-se aos estudos e à sua formação profissional para galgar um futuro promissor.

 

(Luiz Gonzaga Bertelli é presidente do Conselho de Administração do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais