Opinião

Marconi e o compromisso com a Segurança Pública de Goiás

diario da manha

O governador Marconi Perillo ao longo dos 4 mandatos  no comando do governo de Goiás, tem feito um esforço extraordinário na área de segurança pública com a finalidade de dar as condições necessárias, através de investimentos crescentes tanto na área da  logística quanto ao seu aparelhamento e o respectivo quadro de pessoal da polícia militar e civil, fortalecendo assim, os meios operacionais no bom desempenho de suas funções  na prevenção e defesa da sociedade em todos os níveis sociais.  No comando da Secretária de Segurança Pública do Estado de Goiás, a convite de Marconi Perillo está desde o seu governo anterior, o delegado federal Dr. Joaquim Mesquita – com certeza, de sintonia e conhecimento baseado nas estratégias de políticas públicas de segurança pública de cunho federal e estadual.

Em meados do mês de julho de 2015, segundo fontes oficiais, num processo evolutivo de 2014, foi apresentado o resultado de um relatório examinado por um amplo levantamento produzido pelo Tribunal de Contas da União – TCU referente às ações estratégicas do Governo do Estado de Goiás em relação às políticas de Segurança Pública, que por meio do qual foi possível apurar que Goiás obteve o segundo lugar dentre os 25 estados que passaram pela avaliação de gestão e desempenho de suas secretarias de Segurança Pública. Denominado Levantamento de Governança de Segurança Pública, a pesquisa do TCU intencionou compreender e avaliar as formas de gestão das pastas de segurança em cada estado e a existência ou não de planos estratégicos para a área.  Na ocasião, dentro desse parâmetro, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás obteve o 2º lugar no índice geral das avaliações (o IGovSeg), e obteve 71% da pontuação cujo índice variava de 50% a 75% – Tendo como  interferência do TCU em relação às práticas de Segurança Pública um papel fundamental para medir necessidades reais da área em questão de cada estado. Um registro importante extraído desse relatório do TCU foi o indicativo da ausência de política nacional integrada em relação à Segurança Pública na qual, sem sombras de dúvidas, interfere diretamente no resultado das ações das secretarias.

Como forma de aprimorar as técnicas e treinamento das polícias de Goiás no dia 25 de setembro de 2015, o governador Marconi Perillo, acompanhado do Secretário de Segurança Pública, Delegado federal Joaquim Mesquita, inaugurou a nova Escola Superior da Polícia de Goiás, considerada pelos entendidos da área de segurança, como uma das mais completa e moderna do Brasil. Os policiais civis goianos, os quais considero de alta produtividade, já prestam um bom serviço à sociedade,  agora certamente, com esse espaço de estudos e treinamentos, as suas ações e estratégias serão ainda mais aprimoradas em benefício da sociedade goiana. Nessa mesma ocasião, o governador Marconi Perillo, ainda entregou 135 viaturas para a polícia civil de Goiás.

O Governo de Goiás sob o comando do governador Marconi Perillo, mesmo com a crise desenhada, aumentou os recursos na ordem de R$ 400 milhões que corresponde 12,55% a mais em 2015 de um total de R$ 2,7 bilhões em Segurança Pública, levando em comparação ao ano de 2014, o que prova e revela o seu alto grau de compromisso com a sociedade – dados revelados no dia 19 de janeiro do corrente ano em solenidade de entrega de seis caminhões Auto Bomba Tanque (ABS) para o Corpo de Bombeiros, realizada no Auditório Mauro Borges, conduzida pelo governador Marconi Perillo e o seu Secretário de Segurança Pública, o delegado federal Joaquim Mesquita.  Os veículos serão utilizados pela corporação nos municípios de Aparecida de Goiânia, Anápolis, Cristalina, Formosa, Itumbiara e Uruaçu, para combate a incêndio e para salvamento. A frota foi adquirida com recursos do Fundo Especial de Reaparelhamento e Modernização do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (FUNEBOM), ao valor de R$ 3,3 milhões.

Na oportunidade, segundo fontes oficiais, Marconi Perillo destacou que o governo estadual, desde 2011, praticamente dobrou a frota de caminhões de combate a incêndio do Corpo de Bombeiros. A corporação, que tinha 53 caminhões em 2010 – a maioria adquirida em suas duas gestões anteriores – tem, hoje, 102. “Adquirimos, também, cerca de 400 veículos menores por meio do FUNEBOM, e foi uma iniciativa que revolucionou o Corpo de Bombeiros do ponto de vista operacional. Nos últimos anos investimos mais de R$ 30 milhões no Corpo de Bombeiros. Esses investimentos revelam o alto grau de compromisso do nosso governo com os interesses da sociedade goiana”, afirmou o governador. A atuação do Corpo de Bombeiros está atualmente em 38 cidades, mais 8 postos na cidade de Goiânia, com uma meta estabelecida para chegar ao final de 2016 a 50 cidades beneficiadas, completou Marconi.  Com isto, pelos dados apresentados na solenidade de um incremento de 12,55%, a Segurança passou a ser a segunda em aplicação de verbas dos recursos do Tesouro do governo estadual, ficando apenas atrás da Educação que é de 25%.

O trabalho é constante nessa área no governo de Marconi Perillo. Então divulgar é preciso e, nessa ótica, como forma de uma avaliação dentro de um quadro evolutivo das políticas públicas de Segurança Pública inserida e incrementada pela Secretária de Segurança Pública de Goiás, pode-se apontar, segundo a sua comunicação setorial, a apuração e análise dos dados criminais e violência, baseados em metodologia científica com trabalho iniciado pela extinta Gerência de Análise de informações, atualmente incorporada pelo Observatório de Segurança.

Desse trabalho, registrou-se a queda expressiva de 24,3% de latrocínios (morte seguido de roubo) em Goiás durante o ano de 2015, com registros de casos bem menores do ocorrido em 2014, considerado o menor patamar dos últimos três anos. No estado, a Capital proporcionalmente, obteve diminuição de 24,4% no registro de latrocínio durante 2015. Um fator que é importante registrar, segundo relatório, foi o recuo no número de latrocínios em Goiás que está diretamente relacionado na razão do aumento da produtividade das forças policiais no Estado em 2015.  Sendo que, foram realizadas 88.686 operações policiais em 2015, o que representa uma elevação de 56,4% diante das 56.683 de 2014. Levando em consideração a quantidade de autos de prisões em flagrante subiu de 21.318 para 26.014 neste mesmo período, tendo um acréscimo de 22%.    Em referência a Goiânia, o aumento nos autos de prisão em flagrante na ordem de 11,2% e no Entorno do DF, os autos de prisão em flagrante aumentou 16,6% em relação ao ano de 2014/2015 – o menor número da história nessa região.

Finalmente, sem nenhuma crítica subjetiva, mas na preocupação de resolver essa demanda crescente, Marconi Perillo em outras ocasiões, sugestionou em sua fala o governo federal (União), como forma, de aumentar os investimentos na área de segurança pública nos estados da federação, a inserção de uma emenda à Constituição, garantindo vinculação constitucional de recursos para a área da segurança. Ainda “E, ao enviar um projeto de criação de um fundo, também fizesse uma emenda à Constituição definindo recursos da União para segurança dos cidadãos. É cômodo para a União não garantir a viabilização de uma estratégia nacional” falou num evento no Palácio PPLT em meados do mês de julho de 2015, afirmou Marconi.  Deixo aqui para a reflexão do meu caro leitor, a seguinte frase, que diz: “Elementar! É muito mais fácil criticar quem trabalha… Mais cômodo para aqueles que estão possuídos pela torcida do quanto pior melhor”. Muito Paz!

 

(Antonio Alencar Filho, administrador de Empresas, formado pela Universidade Católica de Goiás, atual PUC; conselheiro da Associação Goiana – AGI; presidente da Associação de Resgate e Cidadania do Estado de Goiás; Articulista do DM e, escreve especialmente para essa segunda-feira)

Comentários