Opinião

Sobre a alegria da vida

diario da manha

Difícil mesmo numa época tão hipócrita, num tempo tão egoísta e numa vida tão atribulada, é o ser humano se sentir feliz, alegre, de bem com a vida.

Tempos difíceis deveriam nos ensinar o valor das coisas (e não o seu preço), nos ensinar a não desperdiçar, pra não faltar, mas ao contrário, parece que tem ensinado a nos tornar mais egoístas e consumistas do que antes.

As pessoas (eu, você, quase todos ou todos) buscam a felicidade nas coisas materiais, nos bens de consumo e no consumo dos bens, esquecendo-nos que as melhores coisas da vida (e as essenciais) são gratuitas. Vivemos em dilemas financeiros, em disputas pelo tão aclamado “status social” que nos esquecemos de olhar ao redor e ver a vida, que vai passando e levando com ela nossos melhores anos. Existe um texto “rodando” pela internet que dizem ser palavras do Dalai Lama que expressa justamente essa correria da vida moderna, essa disputa por status e dinheiro, o texto diz:

“Perguntaram ao Dalai Lama:

– O que mais te surpreende na Humanidade?

E ele respondeu:

– Os homens… Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.

E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro. E vivem como se nunca fossem morrer… e morrem como se nunca tivessem vivido.”

Extremamente profundo esse pequeno texto, e se pararmos para pensar e refletirmos um pouco, veremos que a vida está indo embora, se esvaindo aos poucos de nós mesmo, pois estamos envelhecendo e as “coisas” pelas quais lutamos, ficarão e nós não. Pare, pense, mais vale o corpo que as vestes, mais vale o ventre que o alimento, disse Jesus. A alegria da vida está nela (na vida), esse é o segredo, por isso vemos pessoas tão ricas e infelizes, e pessoas tão pobres e em paz consigo mesmas e com a vida. Viva a vida! Viva a família, a religião, o passeio, o namoro, o comer e o beber. Viva a liberdade (com responsabilidade) viva seus pais, vivas seus sabores e dissabores, isso é viver.

Vivendo assim, encontraremos a verdadeira alegria da vida, que está nas coisas simples, no dia a dia, no sol, no mar, na sombra, na comida e na bebida em nossas mesas, em nossas famílias, em nosso trabalho. E lembre-se, nunca é tarde para recomeçar, pois a cada manhã Deus nos dá um dia novo para aprendermos a amar a vida que ELE nos deu.

 

(Ricardo David, graduado em Gestão de Trânsito (UEG-Goiás), pós-graduando em Docência e Gestão do Ensino Superior (UniEstacio-Goias), funcionário público municipal)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais