Opinião

Mais do que uma camiseta vermelha!

diario da manha

Então… É assim? O menino usa uma camiseta vermelha e já é identificado como um comunista feroz! Dessa forma, suponho que basta que ele ou ela traje uma indumentária vermelha e daí, segundo o pensamento automático da ultra-direita brasileira, temos um muito disciplinado e orgânico militante da causa do comunismo? É isso mesmo? É essa a forma absurda e primitiva de conceber a política e o seu mundo?
Sinceramente, não posso acreditar que esteja vivendo e presenciando esse tipo de coisa.
Nesse sentido e segundo essa forma de pensamento é que além das camisetas rubras existem outros sinais importantes para a identificação de comunistas; eventualmente, homens com barba podem estar aludindo ao Che Guevara ou a Fidel Castro? Não seria importante agredir também pessoas com esses traços?
E os que trazem tatuagens, esses símbolos que representam certa forma de rebeldia e com enorme conteúdo contracultural? Certamente essas pessoas estão “fora da ordem” desse tipo de pensamento; prova cabal do que digo são os roqueiros, quase todos tatuados e que, não raro, protestam contra o Estado e suas formas de controle. Por coerência, é importante, combater essa gente. Não acham?
E os professores, sobretudo, os atuantes com as chamadas ciências sociais? É que nos conteúdos programáticos acadêmicos existe o estudo do pensamento de certo Karl Marx e que, nada, nada é o pai do chamado socialismo científico. Professores são complicados e não podem ficar de fora desse policiamento estético-ideológico.
Penso agora na foice e no martelo; esses prosaicos instrumentos das lidas e lavras familiares; isso mesmo… Essa perigosa gente da agricultura familiar que planta a maior parte dos alimentos que nos mantem vivos, usam e muito! Para o corte da produção, para a manutenção da casa e serviços corriqueiros.
Me digam… Pode ter algo mais suspeito do que foice e martelo? E justamente na casa de lavradores? Não, dificilmente algo pode ser mais suspeito.
Saiam da camiseta! Vejam por exemplo autores e artistas como Jorge Amado, Graciliano Ramos, Pablo Picasso, Cândido Portinari, Mario Lago, dentre tantos e tantos outros… Tudo comunista! Invadam as bibliotecas e exposições e, é claro, destruam tudo!
Olha… O comunismo influenciou, além das artes e da produção cultural, evidentemente, a arquitetura. Me digam: Já ouviram falar em Oscar Niemeyer? Então… Baita comuna! Se fosse vocês destruiria Brasília! Aqueles monumentos todos e que são patrimônio histórico mundial foram traçados por esse indivíduo. Aproveitem e derrubem a sede da ONU, em Nova York! Traço deste comunista!
Aliás, a imensa maioria das conquistas sociais como férias, décimo terceiro salário, licença-maternidade, jornada de oito horas, dentre outras são lutas e exigências do próprio anarco-comunismo. Não querem acabar com tudo isso?
Não fiquem no fácil; saiam da camiseta. Sejam mais sérios e aprofundem vossa revolução repugnante, absolutamente fascista, portanto, covarde; e que está fadada ao seu fim, seu cômico fim.

(Ângelo Cavalcante, economista, cientista político, doutorando (USP) e professor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), campus Itumbiara)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais