diario da manha

No vasto mundo das artes marciais, encontram-se diversos estilos, linhagens, técnicas, lendas e acima de tudo muito conhecimento e sabedoria ancestral de muita valia para a compreensão das bases lógicas que integram todas as artes marciais. Infelizmente, muitos dos conhecimentos ancestrais foram sendo deixados de lado em razão de conflitos políticos, guerras e diferenças culturais. Esta realidade foi compreendida ao longo dos anos de estudo e pesquisa contínua que engendro.

Estudo e pratico artes marciais desde a infância, começando pelo Judô, passando por Karate Full Contact, Jiu Jitsu, entre outras. Mas uma coisa que sempre me fascinou nas artes marciais foi o autoconhecimento que me proporcionava. Ainda era criança quando conheci o Kung Fu assistindo aos filmes do Bruce Lee, e me apaixonei. Naquele período comecei a buscar professores e não conseguia encontrar um que me ensinasse da maneira que eu buscava, e esta busca durou anos, até que encontrei o Wing Chun. Depois de um tempo de prática, busquei um mestre que realmente atendesse minhas expectativas e encontrei o Sifu Sergio Iadarola, que não apenas supriu, mas superou-as. Um buscador nato que resgatou as linhagens mais ancestrais, as raízes mais profundas do Wing Chun e sua conexão com o Chan (Zen) Budismo. Venho acompanhando sua busca e pesquisa desde 2003.

Mesmo assim fui além, pois ainda não havia conseguido encontrar uma forma de ensinar arte marcial com uma linguagem clara para as pessoas utilizarem os ensinamentos em sua vida, por isso busquei também ensinamentos sobre liderança moderna e ancestral, e meditação. Em 2009 encontrei a Fundação chilena Cóndor Blanco e venho aprimorando continuamente meus estudos e práticas ancestrais e modernas com os ensinamentos de  Suryavan Solar, trabalhando mais a fundo os conceitos marciais de Mente, Corpo e Energia.

“Para nos tornarmos diferentes do que somos devemos ter alguma consciência do que somos.” Bruce Lee (O TAO do Jeet Kune Do)

Nesta caminha de estudos marciais, que hoje prefiro chamar de caminho do guerreiro, descobri que toda arte marcial verdadeira tem três estágios. O primeiro acontece em um nível físico, denso e mais facilmente perceptível a todos nós. O segundo é um nível mais sutil onde ocorrem o fluxo dos pensamentos, sensações emocionais, etc. E o último e mais desafiante acontece em um nível de transcendência e de integração. Essa é a essência de toda arte marcial oriental.

Um detalhe importante é que esses estágios são os mesmos que acontecem na pratica do Yoga, na execução de técnicas corporais, respiratórias, meditação ou em qualquer outra técnica. Afinal o aparato humano é o mesmo, seja no oriente ou no ocidente. E a forma de desenvolver e aprimorar o indivíduo, embora cada cultura encontre uma forma diferente para isso, necessariamente vai passar por esses três estágios: Físico (denso/energético), sutil (emocional/mental) e não-dual (trancendental/transpessoal/transracional).

Especificamente quanto ao terceiro nível, o de “transcendência e integração”, alcançado após o avanço de consciência física e emocional, trabalha-se a mente clara e nobre, preparando naturalmente o corpo e o espírito para o caminho da meditação. Assim ocorre no Kung Fu, no Yoga e nos ensinamentos budistas desde Sidharta.

“As meditações que utilizarão o corpo como ponte à consciência pertencem ao que chamamos portal do corpo, como as artes marciais, o ascetismo, o yoga, etc.” Suryavan Solar (Meditação A Arte de Voar)

Com o objetivo de expandir estes conhecimentos a um maior numero de pessoas, rompendo com as crenças e paradigmas criados sobre a violência e arte marcial, desenvolvi um novo método de ensino desvinculado dos métodos tradicionais de ensino marcial, o qual chamo de MBE – Martial Body Engine (Engenharia do Corpo Marcial).

O MBE consiste em um treinamento que resgata a essência das artes marciais. Trazendo o equilíbrio entre Mente, Corpo e Energia com treinamento físico funcional formas, meditação ativa e passiva, além de defesa pessoal.

“Com a nova disciplina integral e exercícios físicos ou energéticos, com as praticas mentais e espirituais, seu corpo será mais firme e te responderá, porque gerará mais energia limpa.” Suryavan Solar (O Livro Dourado)

Com base no Wing Chun, estilo de Kung Fu praticado por Bruce Lee, e elementos práticos de outros estilos de artes marciais, o método MBE de treinamento tem como objetivo despertar o Guerreiro Interno do praticante.

O guerreiro moderno é um líder autoconfiante, focado, decidido e com um poder pessoal inabalável. O objetivo do avanço dos treinamentos é alcançar o terceiro estágio, o de transcendência, onde o corpo físico já está preparado, a mente treinada e, já amadurecidos pela prática, que cada um alcance o estágio meditativo profundo. Até que juntos consigamos chegar ao estágio permanente de contemplação.

Porém, este é um caminho, e o mais importante de um caminho é a jornada.

 

(Erik Alvarenga (Shigaru), advogado, master coach, practioner PNL, terapeuta emocional, produtor da Escola de Meditação Condor)

Comentários