Opinião

Sinais e sintomas da Neuropatia Periférica sendo comum em afetar os nervos

diario da manha

A neu­ro­pa­tia pe­ri­fé­ri­ca tem co­mo ca­rac­te­rís­ti­ca co­mum afe­tar os ner­vos pe­ri­fé­ri­cos, sen­do res­pon­sá­veis por le­var as in­for­ma­ções do cé­re­bro e da me­du­la es­pi­nhal pa­ra o cor­po po­den­do cau­sar da­nos per­ma­nen­tes aos ner­vos, no en­tan­to mui­tas ve­zes é um pro­ble­ma in­ca­pa­ci­tan­te e até mes­mo fa­tal, nor­mal­men­te há cer­ta di­fi­cul­da­de em iden­ti­fi­car a cau­sa da neu­ro­pa­tia pe­ri­fé­ri­ca, pois há inú­me­ros fa­to­res que po­dem es­tar por trás des­te pro­ble­ma. Al­gu­mas pes­so­as de­sen­vol­vem a neu­ro­pa­tia pe­ri­fé­ri­ca pe­lo ex­ces­so de ál­co­ol, dro­gas, es­ta­do de de­fi­ci­ên­cia de vi­ta­mi­na po­den­do es­tá re­la­ci­o­na­do com a ali­men­ta­ção re­a­li­za­da de for­ma in­cor­re­ta, do­en­ças Ge­né­ti­cas en­tre ou­tros fa­to­res. Os si­nais e sin­to­mas do pro­ble­ma vão de­pen­der mui­to do ner­vo le­sio­na­do. En­tre­tan­to a neu­ro­pa­tia a prin­ci­pio po­de cau­sar for­mi­ga­men­to dor­mên­cia, sen­sa­ção de quei­ma­ção nos bra­ços nas per­nas, fra­que­za ou dor nas mãos ou nos pês, res­sal­tan­do que po­de ha­ver per­da da sen­sa­ção do mes­mo.

Aten­ção e mui­to im­por­tan­te as pes­so­as que apre­sen­ta­rem qual­quer um des­ses sin­to­mas ou al­go pa­re­ci­do pro­cu­rar de ime­di­a­to a as­sis­tên­cia me­di­ca no qual po­de­rá di­ag­nos­ti­car o pro­ble­ma a fim de pro­por­ci­o­nar aju­da o mais bre­ve pos­sí­vel. O di­ag­nos­ti­co e tra­ta­men­to pre­co­ce de fa­to po­de au­xi­li­ar no con­tro­le dos sin­to­mas, pre­ve­nin­do da­nos mais gra­ves aos ner­vos pe­ri­fé­ri­cos. Os prin­ci­pa­is ob­je­ti­vos do tra­ta­men­to da neu­ro­pa­tia pe­ri­fé­ri­ca e con­tro­lar os sin­to­mas, in­ter­rom­per a le­são ao ner­vo e aci­ma de tu­do ga­ran­tir uma me­lhor qua­li­da­de de vi­da as pes­so­as que pos­su­em es­se pro­ble­ma.

Sen­do que o uso de ál­co­ol de­ve ser in­ter­rom­pi­do com­ple­ta­men­te e, se ne­ces­sá­rio, ha­ve­rá, tam­bém, a ne­ces­si­da­de de re­por vi­ta­mi­nas e re­a­li­zar al­te­ra­ções sig­ni­fi­ca­ti­vas na di­e­ta.

Al­guns pa­ci­en­tes po­dem pre­ci­sar de ci­rur­gia pa­ra in­ter­rom­per a le­são no ner­vo. Além dis­so, é pos­sí­vel que o tra­ta­men­to tam­bém en­vol­va se­ções de fi­si­o­te­ra­pia pa­ra re­to­mar a for­ça e o con­tro­le mus­cu­lar. O di­ag­nos­ti­co po­de ser re­a­li­za­do por exa­mes co­mo  Ele­tro­mi­o­gra­fia (EMG) que ser­ve pa­ra me­dir o fun­cio­na­men­to dos ner­vos. Tes­te de ve­lo­ci­da­de de con­du­ção ner­vo­sa (NCV) ten­do co­mo pro­po­si­to me­dir a ve­lo­ci­da­de à qual os si­nais vi­a­jam atra­vés dos ner­vos. Bi­óp­sia de ner­vo que ana­li­sa as cé­lu­las em um mi­cros­có­pio.

Res­sal­tan­do que os me­di­ca­men­tos po­dem re­du­zir a dor nos pés, nas per­nas e nos bra­ços, lem­bran­do que os mes­mo ge­ral­men­te não tra­zem de vol­ta a sen­si­bi­li­da­de. É im­por­tan­te con­sul­tar um me­di­co so­bre o uso de qual­quer me­di­ca­men­to.

Me­di­ca­men­tos usa­dos pa­ra tra­tar ou­tros pro­ble­mas mé­di­cos, co­mo con­vul­sões ou de­pres­são, tam­bém po­dem aju­dar a con­tro­lar a dor. Fi­que aten­to a es­se pro­ble­ma, pois ul­ti­ma­men­te es­tá ca­da vez mais pre­sen­te na so­ci­e­da­de, e não se es­que­ça de ha­ven­do qual­quer du­vi­da pro­cu­re um es­pe­cia­lis­ta da área.

 

(Cle­zia No­guei­ra, li­cen­cia­da em Ci­ên­cias Bi­o­ló­gi­cas pe­la Uni­ver­si­da­de Ca­tó­li­ca de Go­i­ás – PUC-GO)

tags:

Comentários