Opinião

Cristovam não é Huck, mas não quer ser o Doria de Freire

diario da manha
foto:divulgação

Depois da desistência do apresentador Luciano Huck, o presidente do PPS, Roberto Freire, perdeu a pressa. Fez de tudo para que a convenção na­cional do partido não aclamasse o senador Cristovam Buarque como candidato à presidência.

Cristovam quer e poderia ter saído dali como candidato. Mas não quis confrontar Frei­re e, com jeitinho, fez um dis­curso defendendo que a esco­lha fique para o ano que vem: “Não quero ser o Dória do Ro­berto Freire”, disse.

Com o gesto, deixou o presi­dente do partido satisfeito, mas, ao mesmo tempo, numa saia­-justa. Vai ficar difícil se opor à candidatura Cristovam quan­do a hora de decidir chegar. “Quero dizer que, depois des­sa intervenção do Cristovam, ele cresce como um possível candidato do PPS – pela com­preensão, que é o que os ou­tros não tem…”, acabou con­cluindo Freire em seu discurso.

Cristovam não é Huck, o candidato dos sonhos de Freire, mas também não vai ser Dória.

Helena Chagas, jornalista

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar