Opinião

Evo Morales e Aécio Neves: cortes validam grosseiras aberrações na política

diario da manha

Cor­te Su­pre­ma da Bo­lí­via au­to­ri­za quar­to man­da­to pa­ra Evo Mo­ra­les. De­ci­são ver­go­nho­sa to­ma­da em 29/11/17, mes­mo de­pois que o re­fe­ren­do po­pu­lar de 2016 não con­cor­da­ra com no­va can­di­da­tu­ra de Mo­ra­les. O art. 23 da Con­ven­ção Ame­ri­ca­na as­se­gu­ra o di­rei­to de par­ti­ci­par das elei­ções, mas não o de se per­pe­tu­ar no po­der (vi­o­lan­do a re­gra re­pu­bli­ca­na da al­ter­nân­cia).

A Su­pre­ma Cor­te bra­si­lei­ra (em 11/10/17) sub­me­teu-se ao po­der po­lí­ti­co e con­va­li­dou o re­tor­no do se­na­dor do PSDB (Aé­cio), in­so­fis­ma­vel­men­te cor­rup­to, às su­as fun­ções. Uma in­de­cên­cia in­des­cri­tí­vel.

Quan­do pres­sio­na­das pe­los po­de­res go­ver­nan­tes e do­mi­nan­tes (hard powers), as cor­tes cons­ti­tu­ci­o­nais la­ti­no-ame­ri­ca­nas, po­li­ti­ca­men­te “fakes” (soft powers), não con­tam com mus­cu­la­tu­ra su­fi­ci­en­te pa­ra res­pei­tar os prin­cí­pios re­pu­bli­ca­nos (da res­pon­sa­bi­li­da­de, da mo­ra­li­da­de, da al­ter­nân­cia do po­der etc.). Ra­pi­di­nho, ra­pi­di­nho, es­pa­nam. Tris­te tra­di­ção.

Po­bre Amé­ri­ca La­ti­na: tão per­to dos ti­ra­nos e ti­ra­ne­tes as­sim co­mo das eli­tes clep­to-ban­di­das e tão lon­ge do que Nor­bert Eli­as cha­ma de “pro­gres­so ci­vi­li­za­dor”, que le­vou o hu­ma­no a ter dis­ci­pli­na, au­to­con­tro­le, pers­pec­ti­va de fu­tu­ro e sen­si­bi­li­da­de ao so­fri­men­to al­heio.

A Ve­ne­zu­e­la já pas­sou mais de um sé­cu­lo sob o co­man­do de cau­di­lhos e ti­ra­ne­tes. A Bo­lí­via já so­freu mais de 150 gol­pes mi­li­ta­res. No Mé­xi­co um úni­co par­ti­do fi­cou mais de 70 anos no po­der.

A Ar­gen­ti­na tem o mai­or nú­me­ro de ví­ti­mas da re­pres­são po­lí­ti­ca. No Chi­le a Jus­ti­ça se aco­var­dou com­ple­ta­men­te du­ran­te o re­gi­me mi­li­tar. Cu­ba te­ve um úni­co go­ver­nan­te (um di­ta­dor) por mais de meio sé­cu­lo.

Nos 128 anos de Re­pú­bli­ca, o Bra­sil vi­veu 41 anos sob di­ta­du­ra mi­li­tar e o res­tan­te sob o co­man­do ci­vil da clep­to-ban­di­da­gem (eli­tes cor­rup­tas que man­dam na na­ção).

So­mo­za, Pé­rez Ji­me­nez, Gus­ta­vo Ro­jas, Ro­drí­guez de Fran­cia, Stro­essner, Pa­pa e Baby Doc, Pe­rón, Pi­no­chet, Tru­jil­lo, Or­te­ga, Odría, Al­va­ra­do, Fi­del Cas­tro, Ge­tú­lio Var­gas, Mé­di­ci: a es­ses di­ta­do­res, ti­ra­nos ou ti­ra­ne­tes de­ve­mos agre­gar um rol in­fi­ni­to de ban­di­dos clep­to­cra­tas (la­drões do di­nhei­ro pú­bli­co, que vêm tan­to do mer­ca­do co­mo do Es­ta­do).

Ora a Amé­ri­ca La­ti­na es­tá nas mãos dos ti­ra­nos ou po­pu­lis­tas au­to­ri­tá­rios, que sem­pre que­rem se per­pe­tu­ar no po­der (é o ca­so, ago­ra, de Evo Mo­ra­les, que quer go­ver­nar a Bo­lí­via por mais de 20 anos). Ora es­tá sob o im­pé­rio dos la­drões oli­gar­cas (ba­rões la­drões), que con­se­guem apoio do Ju­di­ci­á­rio pa­ra con­ti­nu­ar no car­go pú­bli­co des­vi­an­do o di­nhei­ro da po­pu­la­ção.

Tu­do is­so acon­te­ce sob as bar­bas do Ju­di­ci­á­rio, na­tu­ral­men­te pro­gra­ma­do pa­ra ser uma ex­ten­são (um pu­xa­di­nho) des­ses go­ver­nan­tes me­que­tre­fes. Um opo­si­tor de Mo­ra­les dis­se que os ju­í­zes da Cor­te não pas­sam de “ca­pan­gas de Evo”.

De­pois de 500 anos de abu­sos e den­sas vi­o­la­ções aos di­rei­tos de to­dos é che­ga­do o mo­men­to do im­po­ten­te (o po­vo) se tor­nar po­ten­te (nas ur­nas), sem al­can­çar a pre­po­tên­cia. Em 2018 te­mos que fa­xi­nar to­dos os cor­rup­tos ou ti­ra­nos que que­rem nos go­ver­nar. Va­mos dar chan­ce pa­ra no­vas li­de­ran­ças, com­pro­me­ti­das com o in­te­res­se pú­bli­co.

A for­ça do po­der não po­de re­si­dir nas ar­mas, nem no di­nhei­ro, nem nas gros­sei­ras ma­ni­pu­la­ções, so­bre­tu­do das frá­geis cor­tes cons­ti­tu­ci­o­nais. A Amé­ri­ca La­ti­na tem di­rei­to a ex­pe­ri­men­tar o pro­ces­so ci­vi­li­za­dor e eman­ci­pa­dor. A ho­ra é ago­ra!

 

(Lu­iz Flá­vio Go­mes, ju­ris­ta, cri­a­dor do mo­vi­men­to Que­ro Um Bra­sil Éti­co. Es­tou no F/lu­iz­fla­vi­o­go­me­so­fi­ci­al)

 

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 22:23

Brasília – Prazo de validade vencido

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar