Opinião

Salve o permanente Natal de Jesus

diario da manha

Avi­zi­nha-se o ani­ver­sá­rio de Je­sus. Re­gis­tram as nos­sas tra­di­ções que o Cris­to veio ao mun­do em uma mis­são emi­nen­te­men­te edu­ca­ti­va pa­ra re­di­re­cio­nar os ca­mi­nhos da hu­ma­ni­da­de. Re­mir o ho­mem de su­as ma­ze­las mo­ra­is eis a su­bli­me mis­são do em­bai­xa­dor de Deus a ter­ra.

Re­ve­lam as Sa­gra­das Es­cri­tu­ras que ao vir à luz re­ves­ti­do na in­du­men­tá­ria fí­si­ca de Je­sus de Na­za­ré, o Mes­tre por ex­ce­lên­cia pre­gan­do e exem­pli­fi­can­do a hu­mil­da­de ou­ve por bem nas­cer em uma man­je­dou­ra e den­tro de uma es­tre­ba­ria. Os que co­nhe­cem a sua his­tó­ria sa­bem que a sua foi uma mis­são su­bli­me, mas ex­tre­ma­men­te ár­dua di­fí­cil e per­me­a­da de di­fi­cul­da­des e lu­tas acer­bas.

Va­ti­ci­na­vam as pro­fe­cias que Je­sus so­fre­ria os ri­go­res das do­res da Cruz e  os hor­ro­res do seu cal­vá­rio an­tes de se ver ino­cen­te e vi­ti­ma­do pe­lo mais  bár­ba­ro dos as­sas­si­na­tos de que se tem no­tí­cia na his­tó­ria da hu­ma­ni­da­de. Per­me­an­do en­tre a es­tre­ba­ria e o cal­vá­rio de ver­go­nha e dor o men­sa­gei­ro Di­vi­no jor­na­de­ou al­ti­vo e so­be­ra­no pa­ra cum­prir fi­el­men­te e com di­fi­cul­da­des e as com lá­gri­mas do pró­prio sa­cri­fí­cio sua ma­jes­to­sa mis­são.

Va­ti­ci­na­vam as pro­fe­cias que o seu era o sa­gra­do com­pro­mis­so de mou­re­jar en­tre a es­tre­ba­ria e a cruz do ma­dei­ro in­fa­man­te pa­ra mor­rer na cruz e sal­var a hu­ma­ni­da­de. Em su­as an­dan­ças pe­los ín­gre­mes ca­mi­nhos da vi­da fí­si­ca, pa­ra cum­prir sua glo­ri­o­sa mis­são Ele vi­ven­ciou a so­be­ra­na Lei do Amor Uni­ver­sal. Dis­se­mi­nou a paz, exem­pli­fi­cou a hu­mil­da­de, es­par­ziu a luz do en­ten­di­men­to, vi­ven­ciou a con­cór­dia, a do­çu­ra, a se­re­ni­da­de e o equi­lí­brio com o su­bli­me ob­je­ti­vo de plan­tar a se­men­te do rei­na­do da es­pe­ran­ça, do amor e da fé no co­ra­ção da hu­ma­ni­da­de.

Pro­tó­ti­po da per­fei­ção, men­sa­gei­ro da es­pe­ran­ça e em­bai­xa­dor da paz, nos­so Mes­tre, o Cor­dei­ro de Deus que ti­ra o pe­ca­do do mun­do tor­nou-se guia e mo­de­lo per­fei­to da hu­ma­ni­da­de. Bem pre­sen­te às nos­sas me­mó­ri­as seus atu­a­lís­si­mos, con­so­la­do­res e bal­sâ­mi­cos en­si­na­men­tos nor­mas nor­te­a­do­ras da con­du­ta hu­ma­na pe­los tem­pes­tu­o­sos ca­mi­nhos da vi­da tem­po­ral: “No mun­do te­reis afli­ções, mas ten­de bom âni­mo eu ven­ci o mun­do”. “Não se tur­be o vos­so co­ra­ção, cre­de em Deus e cre­de tam­bém em mim.” “E eis que es­ta­rei con­vos­co to­dos os di­as até a con­su­ma­ção do sé­cu­lo.”

Re­con­for­tan­tes e con­so­la­do­ras as pre­ci­o­sís­si­mas li­ções hau­ri­das da do­ce voz de Je­sus, o ex­cel­so con­du­tor das cri­a­tu­ras hu­ma­nas em su­as di­fí­ceis tra­je­tó­ri­as pe­los re­den­to­res ca­mi­nhos da vi­da im­pe­re­cí­vel. É ine­gá­vel que quan­do se apro­xi­ma o Na­tal a da­ta mag­na da Cris­tan­da­de re­ve­ren­ci­a­da pe­los cris­tã­os do mun­do in­tei­ro dul­ci­fi­cam-se as ener­gi­as do pla­ne­ta no em­ba­lo das su­bli­mes vi­bra­ções de amor e luz que emer­gem das men­tes e dos co­ra­ções dos fi­éis de to­das as re­li­gi­ões cris­tãs.  Que nes­te Na­tal que se avi­zi­nha se­ja­mos ba­fe­ja­dos por es­ta on­da se­re­na de amor e paz que nos in­va­de o nos­so ser afim de que jun­tos pos­sa­mos ul­tra­pas­sar os es­trei­tos li­mi­tes da bar­rei­ra do nos­so ca­len­dá­rio, dei­xar a ago­nia da com­pul­si­vi­da­de ma­te­ri­a­lis­ta e pen­sar­mos um ins­tan­te só no sig­ni­fi­ca­do do nas­ci­men­to de Je­sus. Que a hu­ma­ni­da­de cris­tã do mun­do in­tei­ro pos­sa atra­vés das on­das de su­as mais su­bli­mes vi­bra­ções tra­zer Je­sus de vol­ta e que a sua luz pos­sa bri­lhar in­ten­sa­men­te di­an­te dos ho­mens per­mi­tin­do-nos en­con­trar as lu­zes da es­pe­ran­ça, do sa­ber e da fé. Afi­nal o ani­ver­sá­rio é de­le. A fes­ta, os pre­sen­tes, as ho­me­na­gens de­ve­ri­am ser ex­clu­si­va­men­te pa­ra o no­tá­vel ve­ne­ran­do ani­ver­sa­ri­an­te do dia que com mui­ta pro­pri­e­da­de já se pro­cla­mou Ca­mi­nho, Ver­da­de e Vi­da.

Ce­le­bre­mos com ale­gria e es­pe­ran­ça o Na­tal de Je­sus. Ob­ser­van­do e exem­pli­fi­can­do as pre­ci­o­sas e edi­fi­can­tes li­ções que Ele le­gou ao mun­do po­de­re­mos con­tri­bu­ir po­si­ti­va­men­te pa­ra edi­fi­car o ber­ço de uma ci­vi­li­za­ção: jus­ta, fra­ter­na, amo­rá­vel e igua­li­tá­ria. Va­len­do-nos da ma­gis­tral sen­si­bi­li­da­de que in­va­de os nos­sos co­ra­ções nes­ta épo­ca se­ja­mos res­pei­to­sos, dó­ceis, sin­ce­ros, amá­veis, ver­da­dei­ros, cor­da­tos, pa­cí­fi­cos e hu­mil­des de co­ra­ção. As­sim ha­ve­re­mos de con­so­li­dar o seu per­ma­nen­te na­tal em nos­sas men­tes e em nos­sos co­ra­ções.

E as­sim com a re­no­va­ção dos nos­sos pro­pó­si­tos po­de­re­mos con­ti­nu­ar al­ta­nei­ros, in­ti­mo­ra­tos e se­gu­ros com Ele ca­mi­nhan­do ru­mos à ple­ni­tu­de da fe­li­ci­da­de a que to­dos nós es­ta­mos des­ti­na­dos. Va­lho-me da sin­ge­le­za des­te sim­ples ar­ti­go pa­ra en­de­re­çar aos ir­mãos apa­re­ci­den­ses, aos go­i­a­nos, aos bra­si­lei­ros e aos ci­da­dã­os do mun­do in­tei­ro a mi­nha sin­ce­ra, hu­mil­de e cris­ta­li­na men­sa­gem na­ta­li­na. Que se­jam ple­na­men­te fe­li­zes to­dos os ci­da­dã­os do uni­ver­so e vi­a­jo­res da eter­ni­da­de que em bus­ca de mais luz de­man­dam a ple­ni­tu­de. Que a men­sa­gem cris­ta­li­na de es­pe­ran­ça e paz le­ga­da por Je­sus a to­da a hu­ma­ni­da­de pe­ne­tre a in­ti­mi­da­de do nos­so ser e caia co­mo ver­da­dei­ra me­lo­dia de amor so­bre o céu das nos­sas al­mas.

 

(Gus­ta­vo Men­da­nha, pre­fei­to mu­ni­ci­pal de Apa­re­ci­da de Go­i­â­nia)

tags:

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais