Opinião

José Luiz Rodovalho: gente rara de se ver

diario da manha

A nos­sa sin­ge­la ho­me­na­gem de ho­je vai pa­ra meu di­le­to ami­go Jo­sé Lu­iz Ro­do­va­lho, que mar­cou épo­ca co­mo Ge­ren­te Vip do sa­u­do­so Ban­co do Es­ta­do de Go­i­ás (BEG), na Agên­cia Es­me­ral­da, à Ave­ni­da Go­i­ás com Ave­ni­da Anhan­gue­ra, Cen­tro de Go­i­â­nia. Ali, bem co­mo em ou­tras agên­cias que co­man­dou, Zé Lu­iz, co­mo é cha­ma­do pe­los ami­gos, as­si­nou cen­te­nas de con­tra­tos im­por­tan­tes pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to do nos­so que­ri­do Es­ta­do de Go­i­ás.

Ren­do es­sa ho­me­na­gem ao Zé Lu­iz, pe­cu­a­ris­ta, cam­pe­ão de si­nu­ca do Clu­be Jaó e jo­ga­dor de tru­co da me­lhor qua­li­da­de, não ape­nas pe­las vi­tó­rias que im­pôs so­bre mim na si­nu­ca e no tru­co, em mo­men­tos ma­ra­vi­lho­sos, es­pe­ci­al­men­te pa­ra ele, né, mas, so­bre­tu­do, pe­lo ami­go es­pe­ci­al que é. E não ape­nas des­se hu­mil­de es­cri­ba, mas de to­dos os ami­gos que te­mos em co­mum, ao exem­plo do San­ti­no Mar­ques da Cos­ta, ou­tro gran­de cam­pe­ão de si­nu­ca do Jaó.

Pri­mei­ra­men­te, re­gis­tro aqui a mi­nha sin­ce­ra gra­ti­dão a Deus por ter co­lo­ca­do o Zé Lu­iz em mi­nha vi­da, so­bre­tu­do pe­lo exem­plo de gen­te que ele é. Com o be­ne­plá­ci­to da pa­troa, Do­na Lau­ra, o Zé Lu­iz já nos re­ce­beu pa­ra vá­ri­as ve­zes em sua vi­ven­da, um be­lo so­bra­do no Se­tor Jaó, pa­ra jan­ta­res, pa­mo­nha­das e chur­ras­ca­das, even­tos sem­pre acom­pa­nha­dos de uma ani­ma­da ro­da de tru­co. São re­al­men­te mo­men­tos ra­ros de con­vi­vên­cia com ami­gos da me­lhor qua­li­da­de.

Nes­se úl­ti­mo do­min­go, Zé Lu­iz e Lau­ra nos le­va­ram pa­ra um chur­ras­co no Clu­be dos Ban­cá­rios, lu­gar dos mais apra­zí­veis, on­de, mais uma vez, fi­ze­mos um sen­ta-le­van­ta de tru­co. Além do co­man­dan­te Zé Lu­iz, par­ti­ci­pa­ram com a gen­te os ami­gos Ma­nu­el da Cai­xa, San­ti­no e Ti­ã­o­zi­nho. Que de­lí­cia de chur­ras­co e de mo­men­tos ines­que­cí­veis! Co­nhe­cen­do bem o Zé Lu­iz, co­mo co­nhe­ço, com to­da cer­te­za, te­re­mos no­vas opor­tu­ni­da­des de nos en­con­trar­mos na­que­le ma­ra­vi­lho­so clu­be cam­pes­tre dos ban­cá­rios do Es­ta­do de Go­i­ás.

Tam­bém que­ro re­gis­trar aqui o jo­go de cin­tu­ra do Zé Lu­iz no co­man­do dos ti­mes de fu­te­bol que dis­pu­ta­vam tan­to a Co­pa Beg co­mo o Cam­pe­o­na­to dos Ban­cá­rios. Ele tem uma ga­le­ria, em ca­sa, com mais de 23 tro­féus con­quis­ta­dos. Zé Lu­iz é dos Ro­do­va­lho de Ca­ta­lão, mas a mar­ca re­gis­tra­da de­le não é va­len­tia, mas, sim, fi­nes­se, agu­de­za de es­pí­ri­to, su­ti­le­za, fi­nu­ra, sa­ga­ci­da­de, fi­nu­ra de ma­nei­ras, de pro­ce­di­men­to; fi­ne­za, ele­gân­cia, di­plo­ma­cia, bom gos­to… En­fim, gen­te da me­lhor qua­li­da­de, gen­te ra­ra de se ver, prin­ci­pal­men­te nos di­as de ho­je.

Na fo­to que ilus­tra es­sa re­se­nha, Zé Lu­iz com sua ama­da Lau­ra.

 

(Jo­ão Nas­ci­men­to, jor­na­lis­ta)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais