Opinião

Aos trabalhadores da Saneago

diario da manha

A Sa­ne­a­go es­tá, ho­je, em 2018, pre­sen­te em 226 mu­ni­cí­pios. Dos 246 exis­ten­tes no Es­ta­do de Go­i­ás. O sa­ne­a­men­to bá­si­co é fun­da­men­tal. Pa­ra a vi­da mo­der­na. Con­tem­po­râ­nea. A em­pre­sa pos­sui um ba­lan­ço su­pe­ra­vi­tá­rio. Não há ne­ces­si­da­de de pri­va­ti­zá-la. Nem de ven­der as su­as ações na Bol­sa de Va­lo­res. As sub­de­le­ga­ções pro­mo­vi­das em qua­tro mu­ni­cí­pios não atin­gi­ram um ser­vi­ço de ex­ce­lên­cia. A de­mis­são não é o me­lhor ca­mi­nho pa­ra a ges­tão do ór­gão. A de­volu­ção da con­ces­são aos mu­ni­cí­pios cons­ti­tui-se em um er­ro es­tra­té­gi­co. O sub­sí­dio cru­za­do é in­dispen­sá­vel, sim, pa­ra a ma­nu­ten­ção dos ser­vi­ços em ci­da­des que não pro­du­zem ‘lu­cros’. Es­sas de­vem ser as po­lí­ti­cas pú­bli­cas pa­ra 2019 a 2002. Sob uma ‘no­va era’. De avan­ços so­ci­ais.

Com o es­go­ta­men­to do mo­de­lo eco­nô­mi­co fun­da­do em com­bus­tí­veis fós­seis, a água, as fon­tes de ener­gi­as ver­des e re­no­vá­veis apa­re­cem no ho­ri­zon­te da hu­ma­ni­da­de co­mo a sa­í­da sus­tentá­vel. Sem a des­tru­i­ção do meio am­bi­en­te. Com a re­cu­pe­ra­ção dos ma­nan­cia­is, o im­pe­di­men­to da cap­ta­ção ir­re­gu­lar de água, o re­flo­res­ta­men­to de áre­as de­gra­da­das, a não prolife­ra­ção de po­ços ar­te­si­a­nos. Com a in­sis­tên­cia na re­du­ção con­sci­en­te do con­su­mo de água. Pa­ra evi­tar gra­ves cri­ses hí­dri­cas. Ame­a­ças a 67 mu­ni­cí­pios. Co­mo a que ocor­reu no ano pas­sa­do. Um  2017 de se­ca, ele­va­ção da tem­pe­ra­tu­ra, ca­lor ex­tre­mo, que­da do vo­lu­me anual de pre­ci­pi­ta­ção plu­viomé­tri­ca. De chu­vas. Com a di­mi­nu­i­ção sub­stan­ci­al nos re­ser­va­tó­rios de água. La­men­tá­vel

Um no­vo ama­nhã pa­ra os ser­vi­do­res ati­vos e ina­ti­vos da Sa­ne­a­go é pos­sí­vel. A sua cons­tru­ção te­rá iní­cio já no dia 7 de ou­tu­bro. Nes­te do­min­go de ca­lor. É o ca­mi­nho da mu­dan­ça. Pa­ra a fe­li­ci­da­de ple­na. Uma ação co­le­ti­va. De ho­mens e mu­lhe­res. A Sa­ne­a­go é um pa­tri­mô­nio do Cen­tro-Oes­te, de Go­i­ás, da Re­gi­ão Me­tro­po­li­ta­na da Ca­pi­tal. Não po­de­mos per­dê-la. Nun­ca. Ja­mais. Ve­nha co­nos­co. Par­ti­ci­pe des­sa ca­mi­nha­da. Uma mis­são ci­da­dã. Es­ten­da-nos a sua mão. Con­ta­mos con­ti­go. Uma cru­za­da que re­vo­lu­ci­o­na­rá as nos­sas vi­das. Mais: im­pac­ta­rá a econo­mia e a so­ci­e­da­de ci­vil. Pa­ra que os er­ros não se re­pi­tam. Com o cul­ti­vo da éti­ca. Da mo­rali­da­de. Do re­pu­bli­ca­nis­mo. Sem o exer­cí­cio do pa­tri­mo­ni­a­lis­mo. É o que de­fen­do. Até bre­ve!

 

(Ru­bens Mar­ques, ex-di­re­tor do Com­ple­xo Der­mu/Com­pav e ex-vi­ce-pre­si­den­te da Sa­ne­a­go)

tags:

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais