Opinião

Casos de câncer de mama sobem no País

diario da manha

A in­ci­dên­cia de cân­cer no Bra­sil só au­men­ta, de acor­do com o Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal de Cân­cer (IN­CA). A es­ti­ma­ti­va de 2018 apon­ta o cân­cer de ma­ma em mu­lhe­res co­mo o ter­cei­ro ti­po mais co­mum, com qua­se 60 mil no­vos ca­sos so­men­te es­te ano. Por is­so, ano após ano, é re­a­li­za­da a cam­pa­nha “Ou­tu­bro Ro­sa” pa­ra aler­tar pa­ra a pre­ven­ção, os cui­da­dos e o tra­ta­men­to des­ta do­en­ça.

A cam­pa­nha de 2018 do Ins­ti­tu­to Na­ci­o­nal do Cân­cer (IN­CA) traz co­mo te­ma “Cân­cer de ma­ma: va­mos fa­lar so­bre is­so?”. O ob­je­ti­vo é for­ta­le­cer as re­co­men­da­ções do Mi­nis­té­rio da Sa­ú­de pa­ra o ras­tre­a­men­to e o di­ag­nós­ti­co pre­co­ce do cân­cer de ma­ma e des­mis­ti­fi­car con­cei­tos em re­la­ção à do­en­ça.

A ação en­fa­ti­za a im­por­tân­cia de a mu­lher co­nhe­cer su­as ma­mas e fi­car aten­ta às al­te­ra­ções sus­pei­tas; in­for­ma que pa­ra mu­lhe­res de 50 a 69 anos é re­co­men­da­da a re­a­li­za­ção de uma ma­mo­gra­fia de ras­tre­a­men­to a ca­da dois anos; mos­tra a di­fe­ren­ça en­tre ma­mo­gra­fia de ras­tre­a­men­to e di­ag­nós­ti­ca; es­cla­re­ce os be­ne­fí­ci­os e ma­le­fí­ci­os da ma­mo­gra­fia de ras­tre­a­men­to; e in­for­ma que o Sis­te­ma Úni­co de Sa­ú­de (SUS) ga­ran­te a ofer­ta gra­tui­ta de exa­me de ma­mo­gra­fia pa­ra as mu­lhe­res bra­si­lei­ras em to­das as fai­xas etá­ri­as.

O cân­cer é uma do­en­ça mul­ti­fa­to­ri­al, ou se­ja, po­de ser cau­sa­da por di­ver­sos mo­ti­vos co­mo ida­de, fa­to­res ge­né­ti­cos, his­tó­ri­co fa­mi­liar e pes­so­al, ra­ça e et­nia, ma­mas den­sas, uso de me­di­ca­men­tos, al­gu­mas do­en­ças, ra­di­o­te­ra­pi­as, obe­si­da­de, etc. Mas, cer­ca de um ter­ço dos ca­sos de cân­cer po­de­ria ser pre­ve­ni­do.

Por is­so, é mui­to im­por­tan­te a pre­ven­ção. Nes­se sen­ti­do, é es­sen­cial se­guir al­gu­mas re­co­men­da­ções: não fu­me, fa­ça al­gu­ma ati­vi­da­de fí­si­ca de for­ma re­gu­lar, re­du­za a in­ges­tão de car­nes ver­me­lhas, co­ma ali­men­tos fres­cos, co­mo fru­tas, ver­du­ras e ali­men­tos ri­cos em fi­bras, e mi­ni­mi­ze a in­ges­tão de be­bi­das al­co­ó­li­cas e a ex­po­si­ção ex­ces­si­va ao sol.

Além dis­so, é pre­ci­so fi­car aler­ta aos sin­to­mas, pois 95% dos ca­sos de cân­cer de ma­ma pos­su­em chan­ces de cu­ra. Os prin­ci­pa­is sin­to­mas que apon­tam pa­ra es­se cân­cer são nó­du­lo úni­co en­du­re­ci­do in­clu­si­ve na re­gi­ão da axi­la, mo­di­fi­ca­ção na pe­le na re­gi­ão da ma­ma co­mo in­cha­ço e ver­me­lhi­dão, ma­mi­lo in­ver­ti­do, se­cre­ção san­gui­no­len­ta nos ma­mi­los, do­res na ma­ma ou nos ma­mi­los.

A ma­mo­gra­fia é o úni­co exa­me ca­paz de di­ag­nos­ti­car o cân­cer de ma­ma em seu es­tá­gio ini­ci­al. Por con­ta dis­so, re­co­men­da-se que mu­lhe­res aci­ma de 50 anos se con­sul­tem re­gu­lar­men­te e de­vem re­a­li­zar, ao me­nos, uma ma­mo­gra­fia ao ano. En­tão, não se es­que­ça: são pe­que­nos cui­da­dos que po­dem fa­zer to­da a di­fe­ren­ça e sal­var vi­das. Va­mos nos cu­i­dar!

 

(Chris­ti­na Sou­to, pro­fes­so­ra de En­fer­ma­gem da Fa­cul­da­de Es­tá­cio de Go­i­ás)

tags:

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais

26 de outubro de 2018 as 20:42

Desesperado, Haddad apela