Opinião

Iris Rezende – História, presente e futuro (60 anos de vida pública)

diario da manha

Dia 28 de ou­tu­bro é uma da­ta me­mo­rá­vel, dia em que os bra­si­lei­ros irão às ur­nas pa­ra, de­mo­cra­ti­ca­men­te, es­co­lher os des­ti­nos do nos­so que­ri­do pa­ís. Que to­dos se­ja­mos ilu­mi­na­dos pe­lo Es­pí­ri­to San­to pa­ra acer­tar­mos na nos­sa es­co­lha. Nes­ta da­ta se co­me­mo­ra tam­bém o Dia do Fun­cio­na­lis­mo Pú­bli­co. Nes­te con­tex­to sin­to-me agra­ci­a­da por per­ten­cer à clas­se dos ser­vi­do­res pú­bli­cos, on­de pos­so ser­vir as pes­so­as com o meu tra­ba­lho. Ao en­se­jo do mo­men­to é opor­tu­no fa­zer uma ho­me­na­gem es­pe­ci­al ao nos­so que­ri­do pre­fei­to Iris Re­zen­de, o qual te­nho a hon­ra de ho­me­na­geá-lo ain­da no al­to do seu vi­gor fí­si­co e in­te­lec­tu­al.  Que­ro di­zer da ad­mi­ra­ção que te­nho pe­lo pre­fei­to de Go­i­â­nia, um ho­mem pú­bli­co que de­di­cou 60 anos de sua vi­da à po­lí­ti­ca e ao ser­vi­ço pú­bli­co. Du­as si­tu­a­ções que se in­te­ra­gem com es­te dia 28 de ou­tu­bro.

Sin­to-me à von­ta­de pa­ra pres­tar es­ta ho­me­na­gem ao pre­fei­to Iris Re­zen­de, que com­ple­ta, nes­te ano, 60 anos de vi­da pú­bli­ca e, pa­ra ho­me­na­geá-lo se­rei re­dun­dan­te, ten­do em vis­ta as re­por­ta­gens que, re­pe­ti­das ve­zes, enal­te­ce­ram os gran­des fei­tos do nos­so que­ri­do pre­fei­to, no de­cor­rer do tem­po. A his­tó­ria de Iris Re­zen­de se con­fun­de com a his­tó­ria de Go­i­ás e de Go­i­â­nia. São 60 anos de­di­ca­dos aos ser­vi­ços à po­pu­la­ção.  Foi o po­vo que es­co­lheu ter Iris Re­zen­de co­mo lí­der por tan­tos anos e Iris en­fren­tou e ven­ceu to­dos os de­sa­fi­os que en­con­trou. Um ho­mem que mui­to con­tri­bu­iu e ain­da con­tri­bu­i­rá com nos­so po­vo. Iris Re­zen­de Ma­cha­do nas­ceu em 22 de de­zem­bro de 1933, em Cris­ti­a­nó­po­lis, in­te­ri­or de Go­i­ás.  Fi­lho de Fi­los­tro Ma­cha­do Car­nei­ro e Ge­no­ve­va Re­zen­de Ma­cha­do, Iris mu­dou-se pa­ra Go­i­â­nia com a fa­mí­lia em 1949, aos 16 anos. Des­de ce­do ma­ni­fes­tou o seu veio po­lí­ti­co em de­fe­sa das cau­sas só­cias, ha­ja vis­ta seu ca­ris­ma que atra­ia as pes­so­as. Es­ta pe­cu­li­a­ri­da­de do seu pro­ce­der le­vou-o a mi­li­tar no mo­vi­men­to es­tu­dan­til, pre­si­din­do os grê­mios do Co­lé­gio Lyceu de Go­i­â­nia e da Es­co­la Téc­ni­ca de Cam­pi­nas. Iris ele­geu-se ve­re­a­dor na Ca­pi­tal em 1958, com a mai­or vo­ta­ção pro­por­ci­o­nal da his­tó­ria e pre­si­diu a Ca­sa. Em 1962 Iris Re­zen­de foi elei­to de­pu­ta­do es­ta­du­al por Go­i­ás – no­va­men­te o mais vo­ta­do da his­tó­ria, até en­tão. Tam­bém ocu­pou a pre­si­dên­cia do Le­gis­la­ti­vo no pe­rí­o­do em que o go­ver­na­dor Mau­ro Bor­ges foi cas­sa­do pe­la di­ta­du­ra mi­li­tar, em 1964. Em 1965, aos 31 anos, Iris Re­zen­de der­ro­tou Ju­ca Lu­do­vi­co, ex-go­ver­na­dor do Es­ta­do, na dis­pu­ta pe­la Pre­fei­tu­ra de Go­i­â­nia. Uma vi­tó­ria elei­to­ral que fi­cou mar­ca­da em Go­i­ás. Pre­fei­to da Ca­pi­tal, Iris im­plan­tou o re­gi­me de mu­ti­rões e cons­tru­iu a Vi­la Mu­ti­rão, er­guen­do mil ca­sas em um úni­co dia. Im­plan­tou um gran­de pro­gra­ma de ele­tri­fi­ca­ção ru­ral no Es­ta­do, além de cons­tru­ir 4 mil qui­lô­me­tros de ro­do­vi­as – co­mo a GO-020, de Be­la Vis­ta a Pi­res do Rio, até Ca­ta­lão e a GO-118, in­ter­li­gan­do as prin­ci­pa­is ci­da­des do nor­des­te go­i­a­no. As­fal­tou os prin­ci­pa­is bair­ros de Go­i­â­nia, de­sa­pro­priou lo­tes e du­pli­cou a Ave­ni­da Anhan­gue­ra, cons­tru­iu a Vi­la Re­den­ção, a Vi­la Uni­ão, a Vi­la Al­vo­ra­da, a Vi­la Ca­naã e o Par­que Mu­ti­ra­ma, en­tre ou­tras obras. Já no fi­nal de seu man­da­to, em ou­tu­bro de 1969, quan­do o prin­ci­pal no­me na dis­pu­ta pe­lo go­ver­no do Es­ta­do, Iris foi cas­sa­do pe­lo re­gi­me mi­li­tar e te­ve seus di­rei­tos po­lí­ti­cos sus­pen­sos por 10 anos.

For­ma­do em di­rei­to pe­la Uni­ver­si­da­de Ca­tó­li­ca de Go­i­ás, ho­je PUC-Go­i­ás, Iris pas­sou a ad­vo­gar. Fez cen­te­nas de ju­ris na Ca­pi­tal e no in­te­ri­or do Es­ta­do e apri­mo­rou uma de su­as vir­tu­des: a ora­tó­ria.   Em 1982, com a vol­ta das elei­ções pa­ra go­ver­na­dor, Iris ven­ceu a dis­pu­ta in­ter­na no PMDB (con­tra Hen­ri­que San­til­lo e Mau­ro Bor­ges) e foi es­co­lhi­do o can­di­da­to de opo­si­ção ao go­ver­no de Go­i­ás. Na dis­pu­ta, ven­ceu o ex-go­ver­na­dor Otá­vio La­ge de Si­quei­ra com 2/3 dos vo­tos vá­li­dos. Iris go­ver­nou de 1983 até ja­nei­ro de 1986, quan­do as­su­miu o Mi­nis­té­rio da Agri­cul­tu­ra no go­ver­no do pre­si­den­te Jo­sé Sar­ney (1985-1990). No Mi­nis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, Iris Re­zen­de co­man­dou as cha­ma­das su­per­sa­fras, quan­do mes­mo em meio a uma gra­ve cri­se eco­nô­mi­ca o pa­ís que­brou o re­cor­de de pro­du­ção de grãos por dois anos con­se­cu­ti­vos. Em 1990 Iris dis­pu­tou pe­la se­gun­da vez o go­ver­no de Go­i­ás. Iris ven­ceu a elei­ção com mais de 57% dos vo­tos vá­li­dos. Em 1994 ele­geu-se se­na­dor da Re­pú­bli­ca e aju­dou seu com­pa­nhei­ro de par­ti­do Ma­gui­to Vi­le­la a ven­cer a dis­pu­ta pe­lo go­ver­no. Em 2004 Iris can­di­da­tou-se a pre­fei­to de Go­i­â­nia. Ven­ceu, no se­gun­do tur­no, o en­tão pre­fei­to Pe­dro Wil­son (PT). Com uma ad­mi­nis­tra­ção exi­to­sa, Iris foi re­e­lei­to em 2008 com 74% dos vo­tos vá­li­dos – o mai­or per­cen­tu­al de vo­tos da his­tó­ria da Ca­pi­tal.

Co­mo pre­fei­to de Go­i­â­nia, na oca­si­ão, Iris pro­me­teu e as­fal­tou to­dos os bair­ros da ci­da­de, cons­tru­iu o mai­or nú­me­ro de mo­ra­di­as (che­gan­do a 30 mil lo­tes e ca­sas do­a­das), cons­tru­iu 21 par­ques e cer­ca de 400 pra­ças, cons­tru­iu as pri­mei­ras 20 es­co­las em tem­po in­te­gral e 52 Cen­tros Mu­ni­ci­pa­is de Edu­ca­ção In­fan­til. Em sua ges­tão Go­i­â­nia foi elei­ta a Ca­pi­tal com me­lhor qua­li­da­de de vi­da do Bra­sil. Co­mo re­sul­ta­do de tan­tas obras, em 2016 Iris Re­zen­de dis­pu­tou e ven­ceu pe­la quar­ta vez o co­man­do da pre­fei­tu­ra de Go­i­â­nia. Foi vi­to­ri­o­so com mais de 100 mil vo­tos de fren­te e re­a­li­za uma ges­tão com fo­co na mo­der­ni­za­ção da Ca­pi­tal. Ago­ra, aos 84 anos, Iris dá no¬vos exem­plos ao pa­ís, com um go­ver­no efi­ci­en­te, ho­nes­to e próxi­mo do po­vo. Iris é o pre­fei­to que con­quis­tou o po­vo, não só pe­lo seu ca­ris­ma, po­pu­la­ri­da­de e aten­ção pa­ra com to­dos, mas pe­la sua in­te­li­gên­cia pa­ra go­ver­nar, nos pa­râ­me­tros da in­de­pen­dên­cia po­lí­ti­ca, ad­mi­nis­tra­ti­va e eco­nô­mi­ca. To­das es­tas qua­li­da­des, ine­ren­tes à sua per­so­na­li­da­de, o in­di­vi­dua­li­za co­mo lí­der na­to, ama­do por to­dos os go­i­a­nos.

Pre­fei­to Iris Re­zen­de, Pa­ra­béns! re­ce­ba o abra­ço de to­dos os go­i­a­nos, es­pe­ci­al­men­te dos go­i­a­ni­en­ses. Sua de­di­ca­ção, seu tra­ba­lho, sua ho­nes­ti­da­de, seu amor pe­lo po­vo, se­rão eter­na­men­te lem­bra­dos por to­dos nós. Que o Es­pí­ri­to San­to con­ti­nue cla­re­an­do seu ca­mi­nho, fa­zen­do-o for­te e sa­u­dá­vel, pa­ra me­re­cer­mos ser go­ver­na­dos pe­lo se­nhor!

 

(Cé­lia Va­la­dão Su­pe­rin­ten­den­te de Ha­bi­ta­ção e Re­gu­la­ri­za­ção Fun­di­á­ria, Can­to­ra e Ba­cha­rel em Di­rei­to)

Comentários

Mais de Opinião

27 de outubro de 2018 as 21:44

A estratégia de Pedro

27 de outubro de 2018 as 21:18

Bom dia, Brasil

26 de outubro de 2018 as 21:35

As propostas de Bolsonaro

26 de outubro de 2018 as 21:34

Ensaio sobre a criação do espaço

26 de outubro de 2018 as 21:33

Um amor de Goiânia

26 de outubro de 2018 as 21:32

Brasil e totalitarismo

26 de outubro de 2018 as 21:07

Esses corregedores do CNJ são uma piada

26 de outubro de 2018 as 21:00

O voo do DM

26 de outubro de 2018 as 20:57

Casos de câncer de mama sobem no País

26 de outubro de 2018 as 20:53

O Brasil pede socorro à CNBB!

26 de outubro de 2018 as 20:49

O direito de sonhar

26 de outubro de 2018 as 20:47

O STF legisla demais

26 de outubro de 2018 as 20:42

Desesperado, Haddad apela