Opinião

Fim da indústria da multa e transparência na segurança viária

.

diario da manha
Pedro Sales, Presidente da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra)

Quando o governador Ronaldo Caiado assumiu o Governo de Goiás, em janeiro de 2019, determinou que todos os radares móveis do tipo pistola fossem desligados e imediatamente abolidos no Estado. Assim agimos, decretando o fim da indústria da multa e passando a adotar total transparência na prática da fiscalização rodoviária. Reforçamos a sinalização de alerta nos pontos com aparelhos fixos, assegurando que nenhum motorista seja surpreendido ao andar pelas nossas estradas. Diferente do passado, a preocupação é a segurança viária, não a arrecadação.

Como resultado, os goianos deixaram de gastar R$ 52,8 milhões com o pagamento de multas nos primeiros dois anos da atual gestão. Fato comprovado pela comparação da arrecadação nos biênios 2017/2018 e 2019/2020. No período mais recente, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) registrou uma redução de 23% no montante financeiro e uma queda de quase 300 mil no número de autos de infração aplicados.

Os números mais recentes do monitoramento das rodovias estaduais comprovam que essa redução se manteve ao longo do nosso governo. Basta comparar o total de autuações aplicadas em 2018 – mais de 687 mil – e o índice registrado em 2021: 574 mil. Foram 113 mil autuações a menos, o que representou, em valores, quase R$ 20 milhões que os motoristas deixaram de desembolsar. Mantivemos nossas estradas seguras, com alertas bem sinalizados, totalmente visíveis, sobre trechos em que é necessária a redução de velocidade, sem penalizar os condutores.

Se por um lado, as multas pesaram menos no bolso do usuário; por outro, a Goinfra empenhou esforços na redução dos custos públicos com a fiscalização eletrônica, sem deixar de atender às necessidades da operação rodoviária. A agência tinha um contrato antigo, oneroso, para a manutenção e operação dos equipamentos. Licitamos os serviços e conquistamos uma economia de 47% nos novos contratos, o que significará uma economia de cerca de R$ 40 milhões ao longo de três anos.

De 2019 para cá, tornamos totalmente transparentes a gestão e todo o escopo da operação rodoviária. Mantivemos o monitoramento em trechos onde a ação é fundamental para reduzir acidentes e salvar vidas. Tivemos atenção especial aos perímetros urbanos, pontos em que as rodovias confluem com avenidas e ruas. Estes são locais com grande fluxo de veículos de carga e de passeio além de pedestres, o que denota a necessidade de uma preocupação maior e pede a redução da velocidade máxima da via, o que, por vezes, é uma reivindicação da própria população. Toda justificativa está presente nos estudos técnicos disponíveis no site da Goinfra, de forma, repito, bem transparente.

Sabemos que segurança viária se fortalece no tripé: condutor consciente, sinalização presente e infraestrutura de qualidade. Então, investimos na infraestrutura rodoviária com afinco e responsabilidade. Desenvolvemos o Goiás em Movimento – Eixo Sinalização, um programa voltado ao trânsito mais seguro. Por meio dele, já reforçamos os sinais de tráfego em mais de 5 mil quilômetros de rodovias estaduais, com pintura horizontal, implantação de tachas refletivas e de placas de trânsito.

A exemplo do que executamos nas demais áreas da Goinfra, desenvolvemos um trabalho de fiscalização responsável, íntegro e com foco no cidadão. Moralizamos a gestão, acabando com a pesada indústria da multa sem comprometer a segurança viária. Os números confirmam os bons resultados e apontam que os motoristas hoje podem viajar mais tranquilos.

Comentários