Politica

"Se não tivesse negado a pandemia, Bolsonaro teria gasto a metade", diz Kalil

Para o prefeito reeleito de Belo Horizonte, se Bolsonaro não tivesse negado, mais gente teria aderido às regras de prevenção ao contágio, como o isolamento social

diario da manha

Nessa segunda-feira (30), em entrevista ao Roda Viva, Alexandre Kalil (PSD), prefeito reeleito por Belo Horizonte (MG), disse que Bolsonaro fez o mais difícil: “derramou dinheiro na pandemia”, mas errou a negar a pandemia.

“O mais difícil de fazer, ele fez: não economizou na pandemia. Se ele não tivesse negado, teria gasto, provavelmente, metade do que gastou”, disse o político.

Segundo Alexandre Kalil, se Bolsonaro não tivesse negado, mais gente teria aderido às regras de prevenção ao contágio, como o isolamento social. 

“O presidente da República é um líder, gostando dele ou não. Eu não preciso dele como amigo, mas para dar dinheiro para a saúde, educação, infraestrutura […] Faltou a liderança que a gente está vendo na Europa. A convulsão social da fala, foi a pior coisa que aconteceu. E agora, com a vacina, vem a mesma coisa”, complementou.

Comentários