Politica

Mulher é multada por buzinar em protesto contra Bolsonaro

Publicitária participava de carreata e foi notificada na última terça-feira (13)

diario da manha
Foto: Arquivo Pessoal

A publicitária Fernanda Calvi Anic, 35, levou uma multa ao buzinar durante carreata em protesto contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

A manifestação aconteceu em 29 de maio, na cidade de Peruíbe, no litoral paulista, e conforme Fernanda, o buzinaço estava permitido pela prefeitura. A manifestação contou com dezenas de pessoas que dirigiam seus carros pelas avenidas do município, com cartazes contra o governo.

A publicitária recebeu a notificação na última terça-feira (13). No papel constava que a infração de trânsito se devia ao ‘uso de buzina em carreata’.

“Senti que foi uma atitude de repressão, de punição por eu estar protestando contra um governo que já demonstrou ser corrupto e inapto”, declarou Fernanda.

Procurado, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), informou em nota que o órgão de trânsito da Prefeitura de Peruíbe é responsável por fiscalizar esse tipo de infração.

De acordo com o secretário municipal de Defesa Social de Peruíbe, José Romeu Dutra, é complexo identificar o caso para comprovar se o procedimento partiu do município, pois é difícil afirmar se a multa foi referida por um agente de trânsito municipal ou por um policial militar.

Caso semelhante ocorreu em Porto Alegre

Durante uma motociata de Bolsonaro na capital gaúcha, uma mulher que batia panela em protesto contra o ato foi presa pela Brigada Militar.

O vereador de Porto Alegre, Matheus Gomes (PSOL), escreveu no Twitter que falou com testemunhas para tomar providências sobre o caso.

“Abuso policial! Uma cidadã de Porto Alegre acabou de ser presa por bater panela, enquanto acontecia a motociata de Bolsonaro! Isso é um absurdo! É repressão ao direito de manifestação! Acabei de conversar com pessoas que presenciaram o fato e estamos vendo como auxiliar”, publicou o vereador.

O governador do Rio Grande do sul, Eduardo Leite (PSDB), em postagem no Twitter, afirmou que o caso será investigado.

“O Estado irá apurar com rigor as condições em que se deu o recolhimento de manifestante hoje em Porto Alegre”, publicou Eduardo.

Comentários