Politica

2022 bate às portas de 2021 e mostra influência de 2018

.

diario da manha

Após a oficialização da aliança entre MDB e DEM, e a indição da Daniel Vilela como vice, na chapa com Ronaldo Caiado, os próximos passos para a consolidação da coligação majoritária governista passam pela escolha do candidato ao senado e os diálogos com presidentes de partidos para a formação das chapas proporcionais. É interesse da articulação política do Palácio das Esmeraldas a ampliação da base na assembleia. Há também um forte desejo do governador em manter diálogo com apoiadores que, de certa forma, têm restrições com o MDB. Alguns fatos políticos ocorridos em 2018 e 2020, são tidos como “obstáculos” neste entendimento, porém, um importante articulador do governo assevera que “o governador vai, pessoalmente, administrar estas tratativas. Ele sempre encara estas questões de forma muito transparente.” A aliança com o MDB deixou Iris Rezende contente, segundo sua filha, Ana Paula, e o amigo de longa data, Paulo Ortegal. Iris está hospitalizado para se recuperar de um AVC. Esta era uma aliança que o ex-ministro, governador e prefeito, atuava para construir há vários anos. Agora, nas próximas semanas, há o movimento natural da oposição, que deve apostar suas fichas junto ao prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, que deve escolher um partido que lhe dê tempo de rádio e TV. Aliás, a oposição também vive um dilema de bastidores, sobre como colocar na mesma mesa, lideranças que alimentaram fortes antagonismos nos últimos anos, a exemplo do PSDB, que não manifesta mais vontade de lançar um nome para o governo e pode embarcar no projeto Gustavista, encontrando por lá o Patriota, que sempre foi um oponente severo do Tucanato. 2022 ainda ouve ecos políticos de 2018 e revela necessidade da antecipação dos bastidores, por todos os lados.

Fio Direto

Surpresa

A iniciativa do governador Ronaldo Caiado (DEM), de confirmar, no encontro estadual do MDB, Daniel Vilela como seu vice, causou surpresa em todas as lideranças e militantes do partido.

Tucanos

O deputado federal Célio Silveira e o deputado estadual Francisco de Oliveira, ambos do PSDB, fizeram discurso, no encontro do MDB, com elogios a Ronaldo Caiado e a Daniel Vilela.

Arestas

A partir de agora a palavra de ordem no Palácio das Esmeraldas é “aparar as arestas” nos setores da base aliada que ainda não assimilou a escolha de Daniel Vilela para a chapa majoritária.

Diálogo

Ronaldo Caiado já conversou com Lincoln Tejota, Lissauer Vieira e Adib Elias, os aliados que manifestaram contrariedade com a composição MDB/DEM.

Sem empolgação

O PSDB já realizou dois encontros regionais este ano – Valparaíso de Goiás e Posse – e ainda não conseguiu mobilizar lideranças influentes nos municípios.

Fica no DEM

Deputado federal Dr. Zacharias Calil avisa: não vai deixar o DEM para disputar o Senado por outra legenda. “Sou leal a Ronaldo Caiado, que sempre me apoiou na política”.

Tempo

A antecipação da aliança para 2022, com vistas à reeleição de Ronaldo Caiado, permite, segundo articuladores, mais tempo para conversar com aliados do interior do estado: “Sem aquelas surpresas das atas de Goiânia.”

Terceira Via

Pouca gente acredita que, em Goiás, uma terceira via se viabilize desta vez. Mas, já existem partidos discutindo isso, porém, o entrave é a escolha de um nome e a proibição das coligações.

Desconfiança

A mais recente pesquisa DataFolha mostra inclinação das pessoas a refluir notícias das Redes Sociais. 93% dos entrevistados não confiam ou confiam pouco na informação oriunda deste meio de comunicação.

Porém

O cenário ainda não é muito bom para a imprensa convencional, pois, 80% dos entrevistados pelo DataFolha, não confiam ou confiam pouco na imprensa. Aí é ruim.

Então!

2022 ainda será um ano eleitoral pautado pela ampla divulgação de fake news. Fiscalizar esse tsunami de informação maliciosa não será fácil, permitindo a quem vive disso nadar de braçada.

Braga fortalecido no novo Patriota nacional

Com o afastamento de Adilson Barroso do comando do Patriota Nacional, Ovasco Rezende (presidente) e Jorcelino Braga (secretário geral) serão homens fortes do partido a partir de agora. Braga é também presidente do Patriota de Goiás e vai levar o partido para o campo da oposição em 2022. A nova direção não deve se empenhar pela filiação do presidente Jair Bolsonaro e seu grupo.

Linha cruzada

A Revista Veja apresentou a versão ternura de Bolsonaro, o que agradou boa parte de sua base de apoio.

Um presidente mais tranquilo facilita recuperar o antipetismo que se assustou com os atos de 7 de setembro.

Comentários