Politica

Canal no YouTube de Gabriel Monteiro é desmonetizado

A plataforma alegou que "situações relacionadas à segurança infantil poderiam causar danos à comunidade e que violavam políticas do canal"

diario da manha

O canal do vereador Gabriel Monteiro no YouTube segue sem monetização que foi retirada no dia 8 de abril, quando a plataforma alegou que “situações relacionadas à segurança infantil poderiam causar danos à comunidade e que violavam políticas do canal”, se referendo ao vazamento de um vídeo íntimo em que Gabriel aparecia com uma menor de idade.

No mesmo mês, Gabriel Monteiro entrou com uma ação para tentar retomar a monetização do canal. Mas a liminar que pedia tutela antecipada (decisão antecipa a questão) foi indeferida e, na sequência, antes do julgamento do mérito, o vereador desistiu do pedido.

Em nota, o YouTube afirmou que:

“Todos os conteúdos no YouTube precisam seguir Diretrizes da Comunidade, e contamos com uma combinação de sistemas inteligentes, revisores humanos e denúncias de usuários para identificar material suspeito e agimos rapidamente sobre aqueles que estão em desacordo com nossas políticas assim que são localizados. Nossas políticas de monetização de canais e o código de responsabilidade dos criadores estabelecem que não é permitido comportamento ofensivo que coloque em risco a segurança e o bem-estar da comunidade formada por espectadores, criadores e anunciantes”, declarou.

Por meio da assessoria, o vereador Gabriel Monteiro disse que preferia “não se pronunciar”.

Ele também é alvo de representação na Câmara dos Vereadores do Rio que o investiga por estupro, assédio e por forjar vídeos na internet.

Com informações do G1

Leia também:

Comentários