Home / Política

Ronaldo Caiado

“Se ganharmos a eleição, eles nunca mais voltarão ao poder”

Governador de Goiás, em evento ao lado do presidente Jair Bolsonaro e de cantores sertanejos, no Palácio da Alvorada

Jair Bolsonaro, Ronaldo Caiado e cantores sertanejos: reforço na reta final da campanha Jair Bolsonaro, Ronaldo Caiado e cantores sertanejos: reforço na reta final da campanha

O governador Ronaldo Caiado (UB) acompanhou os cantores sertanejos que foram a Brasília, segunda-feira (17), declarar apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno da eleição presidencial, que o mandatário disputa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Caiado disse que, se Bolsonaro ganhar, a esquerda não volta à Presidência da República, hoje representada pela candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Temos que vencer. Se ganharmos essa eleição, eles (a esquerda) nunca mais voltarão ao poder, podem ter certeza. Governo que implanta a moralidade, que não rouba ou tem corrupção, o dinheiro triplica”, afirmou.

Caiado foi deputado federal e senador durante os governos do PT, nas gestões de Lula e da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), respectivamente. Ele atuava na oposição aos presidentes e contra as pautas consideradas de esquerda.

O comportamento culminou com uma aliança com Bolsonaro em 2018, que durou até 2020, quando o governador chegou a anunciar o rompimento com presidente devido às medidas tomadas no combate à Covid-19.

No primeiro turno da eleição, Caiado não apoiou nenhum candidato a presidente. Sequer fez menção a Soraya Thronicke (UB), a presidenciável de seu próprio partido.

Reeleito no primeiro turno, Caiado decidiu declarar apoio a Bolsonaro e, desde então, tem participado de agendas com o senador eleito Wilder Morais (PL), com o objetivo de ampliar a vantagem do presidente em Goiás - o mandatário venceu o pleito no estado.

O governador se juntou a cantores como Gusttavo Lima, Leonardo, Zezé Di Camargo, Chitãozinho, da dupla com Xororó, Fernando, da dupla com Sorocaba, Marrone, da dupla com Bruno, e Sula Miranda, em Brasília.

Gusttavo Lima chegou a publicar no Instagram um momento do almoço, em que é possível ver que Bolsonaro se sentou entre ele e Caiado. O cantor marca o presidente e o governador e diz, se referindo a Bolsonaro: “Hoje é tudo por conta do homem”.

O governador tinha de um lado Bolsonaro e, de outro, o cantor Leonardo. Gusttavo e Leonardo moram em Goiás. Segundo a assessoria do governador, Caiado teve atuação na mobilização que levou os cantores a Brasília.

Caiado parabenizou os artistas pelo posicionamento. “Vocês que estão aqui, assumindo essa posição, vão poder bater no peito futuramente e dizer o que fizeram pelo País. Estão escrevendo a história com este momento”, disse.

Virada

Após o encontro, o presidente falou com a imprensa e disse que o apoio dos cantores lhe dá “a certeza” de que haverá virada e ele sairá vitorioso da disputa. No primeiro turno, o ex-presidente Lula ficou à frente de Bolsonaro, com mais de 6 milhões de votos. “Com a vinda de vocês aqui, não tenho a menor dúvida que, em poucos dias, a garotada que não conheceu o período de 2003 a 2015, por influência boa de vocês, vai começar a entender o que eles têm a perder.”

Os sertanejos, por sua vez, falaram em família, religião e socialismo ao declarar apoio a Bolsonaro. Gusttavo Lima, por exemplo, disse que o país tem que continuar com um presidente “que defende a família e a segurança pública”.

Chitãozinho disse que Bolsonaro foi o “presidente mais sertanejo”. O goiano Zezé Di Camargo defendeu que o atual presidente é “o melhor para o Brasil”.

Já Leonardo chamou de covardes quem não se posicionou. “Levanta a bunda do sofá e vá votar. Leva sua mãe, seu irmão ou primo que não votou no primeiro turno, para depois não chorar pelo leite derramado”, disse.

O ator João Guilherme, filho mais novo de Leonardo, foi ao Twitter repudiar o apoio do pai a Bolsonaro. “Sei bem a influência do meu pai, ele é gigante, querido por tantos… Mas joga no time errado e está cego”, escreveu.

Artistas declaram apoio a Lula, em vídeo “vira voto”

Um 2º vídeo com a participação de artistas brasileiros em apoio à eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi divulgado pelas redes sociais. Nele, grandes nomes da arte nacional, como Milton Nascimento, Ziraldo, Maria Gadú, Leandra Leal, Júlia Lemmertz, Bruna Marquezine e Lenine declaram voto em Lula e incentivam a campanha “vira voto” a favor do petista. O vídeo foi produzido em parceria pela Mídia Ninja e pelo coletivo 342 Artes, fundado por Paula Lavigne.

Alguns dos artistas que aparecem no vídeo: Maria Gadú, Bruna Marquezine, Malu Mader, Lenine, Leandra Leal, Preta Gil, Carol Castro, Milton Nascimento; Ziraldo, Zélia Duncan, Júlia Lemmertz.

Outros artistas, como Caetano Veloso, Gal Costa, Maria Bethânia, Nando Reis, Mart’nália, Drica Moraes, Daniela Mercury, participaram do 1º vídeo “Vira, vira voto” em apoio à campanha de Lula.

A apresentadora de TV Xuxa Meneghel, que já compartilhou em outras ocasiões opiniões contrárias ao Partido dos Trabalhadores, declarou voto em Lula. Defensora da linguagem inclusiva, a rainha dos baixinhos utilizou a linguagem brasileira de sinais, Libras, para divulgar o seu voto.

Mas de 200 artistas, políticos, juristas, esportistas personalidades influentes na sociedade brasileira já se manifestaram publicamente a favor da eleição de Lula, declarando votos em vídeos e textos postados em redes sociais. Até ator norte-americano postou que quer o petista eleito.

Para todas essas pessoas, Lula é o único candidato capaz de derrotar o presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato a reeleição, e conduzir o país rumo ao desenvolvimento sustentável com justiça social e distribuição de renda. Parlamentares da Europa e dos Estados Unidos pensam o mesmo e também declararam apoio a Lula.

A manutenção e o fortalecimento da democracia, o combate à fome e à miséria são outros fortes argumentos usados por todos que defendem o voto útil em Lula.

Em muitas mensagens postadas nas redes sociais o apoio vem acompanhado do gesto que se tornou uma espécie de palavra de ordem nessas eleições, o “L”, na mão, formado pelos dedos indicado e polegar.

Um dos maiores nomes da música brasileira, o sambista Diogo Nogueira, declarou apoio a Lula nas redes. “É preciso uma mudança que. Votar é um direito e neste momento é um dever. Independentemente de qualquer coisa, antes de ser artista sou um cidadão brasileiro e meu voto é pela democracia, liberdade, respeito e menos ódio”, disse.

Já Zeca Pagodinho, outro grande nome da música brasileira, preferiu uma mensagem simples e direta e com o bom humor característico do cantor. Pelo Instagram ele faz o símbolo do “L”, de Lula, e sorri para a câmera. Na legenda, a frase: “No domingo, já sabem, né?”

O músico icônico Roger Waters autor da classe obra “The Wall” (disco de 1979 da banda inglesa Pink Floyd), declarou apoio a Lula via web em um evento promovido em favor do ex-presidente.

Conhecido pela atuação em vários filmes de Holywood, como o herói Hulk, Mark Ruffalo, que também é ativista pelo meio-ambiente e causas sociais, nas redes, declarou apoio a Lula.

Há ainda artistas que não declararam abertamente, mas seus posicionamentos indicam ‘em qual time jogam’. É o caso de Ivete Sangalo que em seu show no Rock Rio mandou dois recados ao público. “"Deus não acredita em violência, acredita no amor" e "não precisamos de armas, precisamos de amor". Deus e armas são bandeiras da campanha de Jair Bolsonaro.

Caetano afirmou que, mesmo admirando Ciro Gomes, votava em Lula para “mudar o país”. Ele disse, nas redes sociais: “Vamos eleger Lula para garantir a democracia, a liberdade de expressão e o pleno estado de direito no país”.

"Este ano meu foco é fazer minha parte para não dar brecha a esse possível pesadelo de reeleição [do presidente Jair Bolsonaro]. Voto útil em Lula. Não usem meu nome e minha imagem para promover a candidatura e o partido de vocês por que quem usar vai tomar logo um forão", disse Anitta, em uma postagem no Twitter.

Leia também:

edição
do dia

Capa do dia

últimas
notícias

+ notícias