Política & Justiça

Iris relembra Diretas-já trinta anos depois

diario da manha
Multidão, calculada em 300 mil pessoas, lota a Praça Cívica, em Goiânia: 1984
  •  Ex-governador deu o “pontapé” na campanha com comício
  •  Ato na Praça Cívica, Goiânia, teria reunido 300 mil pessoas
  •  Filme de Ranulfo Borges, inédito, participará de festivais
  •  Documentário traz Chico Buarque, Henfil e Ulysses Guimarães

Renato  Dias Da editoria de Política&Justiça

O ex-governador de Goiás Iris Rezende Machado é o narrador do filme-documentário ‘A Praça Falou Mais Alto’, de 20 minutos de duração, exibido, no último sábado, no Cine Goiânia, na Capital. É o que informa ao Diário da Manhã o jornalista e cineasta Ranulfo Borges, 52 anos de idade e formado na Universidade Federal de Goiás (UFG) no ano de 1990.
– Rumor de botas e o humor das ruas na campanha pelas Diretas-já, em 1984!
Cassado dia 17 de outubro de 1969 pela ditadura civil e militar instalada em 31 de março de 1964, o ex-prefeito de Goiânia por três mandatos lembra a organização e a mobilização para o comício por eleições diretas para a presidência da República, ocorrido em Goiânia, na Praça Cívica, e que teria reunido 300 mil pessoas pró-emenda Dante de Oliveira (PMDB-MT).
– Tancredo Neves, Ulysses Guimarães e Luiz Inácio Lula da Silva se uniram pela democratização do Brasil.
Iris Rezende diz no documentário do diretor goiano que a campanha nacional foi deflagrada a partir de Goiás. O País ainda vivia sob a sombra dos quepes dos generais, recorda-se Ranulfo Borges, ex-repórter do Diário da Manhã. A emenda Dante de Oliveira acabou derrotada no dia 25 de abril do mesmo ano. O Brasil chorou e elaborou novo projeto tático.
– Derrotar, no colégio eleitoral, o PDS, Paulo Maluf e mandar os generais de volta aos quartéis!
Então inquilino do Palácio das Esmeraldas, Iris Rezende participou ativamente das articulações para viabilizar a candi-datura do mineiro Tancredo Neves. Além de trabalhar para garantir a implosão do bloco governista com a criação da Frente Liberal, de Aureliano Chaves, vice de João Baptista Figueiredo, o último general-presidente, com a indicação de José Sarney a vice.
O cantor Belchior, o chargista e escritor Ziraldo, o velho timoneiro Ulysses Guimarães, presidente do PMDB, e o imortal Henfil aparecem no documentário. Inquieto, o jornalista já elabora novos projetos. Entre eles, o de transformar a história dos festivais de música em série de televisão. Mais: o homem espera enveredar-se também pelos caminhos dos curtas de ficção.

Perfil
Talentoso, com referências estéticas em Woody Allen, Silvio Tendler e Eduardo Coutinho, Ranulfo Borges afirma não integrar nenhuma escola cinematográfica e adotar “estilo próprio”. O diretor já fez cinco filmes. Integram a lista: “Colegas, companheiros e camaradas”, de 2010; “O Mundo é uma charge”, de 2014, 18 minutos; “Naqueles Festivais”, de 2014, 57 minutos.
– Assim como “A Praça Falou Mais Alto”, de 2015, e “Lobo Solitário”, este último a ser lançado ainda no primeiro semestre deste ano.

Saiba mais

Para entender as Diretas-já e a eleição no colégio eleitoral 

 

15 de janeiro de 1985, 12h25, Brasília (DF), Capital da República, Congresso Nacional. Tancredo de Almeida Neves (MG) derrota o velho Paulo Maluf (PDS), no Colégio Eleitoral, sem a participação dos eleitores, por uma margem folgada: 480 a 180.
Com o vice José Sarney (MA), um dos integrantes ilustres da ala Bossa Nova da velha e surrada golpista UDN, além de ex-presidente do PDS, o partido político de sustentação da ditadura civil e militar, forma a ‘nova’ Aliança Democrática (AD).
Vinte e um anos depois do golpe de Estado civil e militar de 31 de março de 1964, que depôs João Goulart, os militares ensaiam a saída da cena política e transferem o poder a um civil. O ponto final da ditadura civil e militar? Há 30 anos.
— Há controvérsias! (É o que afirma Daniel Aarão Reis Filho, doutor em História da Universidade Federal Fluminense).
Para o autor, o regime civil e militar acaba, de fato, em 1979, com a revogação dos atos institucionais. O que existe de 1979 a 1988 seria a transição de um “Estado de Direito Autoritário” para um “Estado de Direito Democrático”.
— Com a Carta Magna de 5 de outubro de 1988.
Não custa lembrar
O PDS controlava o colégio eleitoral, que já havia abençoado Ernesto Geisel, responsável pela abertura, e João Baptista Figueiredo ao Palácio do Alvorada. Após a derrota, em abril de 1984, da Emenda Dante de Oliveira, o PDS racharia.
Aldo Arantes diz com exclusividade ao Diário da Manhã que o PMDB mais à esquerda é quem teria organizado, em Goiânia, em 1983, o primeiro ato público em defesa das eleições diretas para a presidência da República. O segundo ocorreu em 1984.
— Organizado por Iris Rezende Machado (Quem informa é Ranulfo Borges, cineasta)
A campanha tomou as ruas e reuniu, na Praça Cívica, 300 mil pessoas para ouvirem as vozes de Fafá de Belém, Ulysses Guimarães, Leonel Brizola, Lula e aquele que seria ungido como a voz dos moderados e palatáveis aos homens de farda, Tancredo Neves.
— Um ex-ministro de Getúlio Vargas e primeiro-ministro de Jango.
Com a derrota, na Câmara dos Deputados, das Diretas-Já Para a presidência da República, o líder comunista conta que as chamadas forças democráticas se uniram para derrotar o regime civil e militar com as suas próprias armas: o colégio eleitoral.
Radical à época, o PT, presidido por Lula, recusou a proposta de ir para as eleições indiretas e boicotou a votação. Três, dos oito parlamentares do partido, Airton Soares, Beth Mendes e José Eudes, desrespeitaram a orientação e compareceram.
As instâncias petistas não tiveram dúvidas: expulsaram os infiéis petistas. Sem dó, nem contemplação. Airton Soares (SP), advogado de presos políticos, nunca mais foi eleito. A atriz Beth Mendes retornou às telenovelas da Rede Globo de televisão.
— No ano seguinte, o PT pulou de cinco para 16 deputados federais.

Outro lado
Já com Marco Maciel (PE), Guilherme Palmeira (AL) e Jorge Bornhaunsen (SC), Vilmar Rocha percorreu Estados do Brasil para converter membros do Colégio Eleitoral a optarem pela recém-criada Frente Liberal. “Obtive protagonismo nacional”, recorda-se.
Ele mantinha um canal de interlocução direto com Aureliano Chaves (MG), então vice do general-presidente da República, João Baptista Figueiredo. Éramos liberais autênticos, explica. José Sarney (MA) e Antônio Carlos Magalhães (BA) viriam depois, diz.
A transição, então, da ditadura civil e militar para a democracia no Brasil ocorreu com baixo custo político, analisa o liberal Vilmar Rocha ao Diário da Manhã. Pacificamente, destaca o velho dirigente. Ao contrário da Argentina e Chile, insiste.
Morre Tancredo Neves
Eleito, Tancredo Neves adoece e morre em 21 de abril do mesmo ano. José Sarney assume a presidência, consolida a Aliança Democrática (PMDB & PFL) e instala a chamada ‘Nova República’. O Plano Cruzado, elaborado por Dilson Funaro, é implantado.
Partido Comunista Brasileiro (PCB) e PCdoB são legalizados e um Congresso com poderes constituintes é convocado, relata Aldo Arantes. O resultado é a Constituição Cidadã, promulgada em 5 de outubro de 1988, registra Vilmar Rocha.
Então governador do Estado de Goiás, eleito em 1982, Iris Rezende, viraria ministro da Agricultura. Henrique Santillo foi eleito para o governo de Goiás, em 1986. As eleições diretas são restabelecidas apenas em 1989. As últimas ocorreram em 1960.

tags:

Comentários