Política & Justiça

Preserve sua autoestima

diario da manha

Letícia Guedes e Stephanny Santos

Especial para Opiniãopública

Existe um fator preponderante a respeito da segurança psicológica que, a meu ver, abarca toda a questão da autoestima, eu diria que esse fator são os outros, ou melhor, como os outros me enxergam. Muitos de nós somos tão vulneráveis a opinião dos outros que um elogio ou até mesmo uma crítica pode mudar completamente o que sentimos a nosso próprio respeito, ou até mesmo nos colocar em dúvida sobre algo que acreditaríamos ser ou ter.
Quem tem a sua própria segurança não depende da aprovação e reconhecimento constante, pois acredita, acima de tudo, em si mesmo, e acreditar em si é de extrema importância para a manutenção de uma boa autoestima. Podemos observar que quando uma pessoa tem uma boa autoestima, o seu relacionamento com ela mesma e os demais se torna mais seguro, já que ela reconhece a sua importância e tem uma noção de seu valor diante dela própria e dos grupos dos quais faz parte.
Em nossos relacionamentos, estamos propícios que alguém nos faça críticas acerca do nosso comportamento ou de nossas opiniões, porém estar segura de suas competências é essencial, portanto de certa forma essas criticas não a abalaram, podem e devem ser motivos de reflexão, pois em algum momento podem vir a contribuir ao crescimento da pessoa, entretanto não a jogará no chão. Um indivíduo seguro entende que uma opinião alheia sobre si mesmo é apenas uma possível consideração sobre seu valor pessoal, e não uma certificação oficial e definitiva sobre o que é e o quanto vale como indivíduo e, inclusive, é uma opinião pessoal de alguém e não uma verdade absoluta. Você é a única pessoa que tem a autonomia de certificar o seu próprio valor. Mas daí nos vem a pergunta, como não se importar com o que os outros dizem?
O fato é que sempre que sentimos arrependimento por ter dito ou feito algo, ou quando evitamos expor o que pensamos, acabamos dando mais poder a opinião do outro do que a nossa própria opinião. É claro que amamos as pessoas e como quem ama quer o bem, estaremos sempre tomando cuidados para não atingir essas pessoas, ou seja, a forma de nos colocarmos precisa ser zelosa e com assertividade.
Evite, ao máximo, comprometer o seu bem-estar, tendo que ficar a mercê da opinião do outro sobre você. Por isso, o caminho da segurança, isto é, desse bem-estar intimo é não depender da aprovação e reconhecimento do outro, como se isso fosse o principal alimento de subsistência. Sabemos que, quando a pessoa sabe o valor que tem e se concentra nessas características próprias, mesmo em meio a tempestade social, ela para de se preocupar com que os outros vão pensar a seu respeito.
Perceba que é melhor ter sempre a consciência leve e limpa, seja fiel aos seus valores, mesmo que isso implique em desagradar ao outro em determinado momento. Em vez de se preocupar com o que estão pensando ou falando a seu respeito, continue a investir em seus projetos pessoais, valorizando – se a cada dia mais! Seja feliz!

(Letícia Guedes, psicóloga clínica, analista do Comportamento, especialista em Terapia Comportamental – Cognitiva, mestre em Psicologia, doutoranda em Psicologia, supervisora de estágio em psicologia e professora de pós-graduação. E-mail: [email protected] / Stephanny Santos, estagiária de Psicologia, graduanda em Psicologia. E-mail: [email protected], www.clinicavivencialle.com.br)

Comentários

Mais de Política & Justiça