Política & Justiça

"Eu conheço dois Bolsonaros. O meu amigo, até o dia da eleição, e outro, presidente", afirma Alexandre Frota

Para Frota a articulação política do governo Bolsonaro com a Câmara é inexistente

diario da manha

Desiludido, é assim que Alexandre Frota (PSL) se encontra depois de seis meses que assumiu um gabinete na Câmara. Do mesmo partido que Bolsonaro, Frota afirma que desgosta do bolsonarismo “xiita”. Além disso, o politico defende João Doria no Palácio do Planalto em 2023: “Doria-ACM vai ser uma grande chapa presidencial”, afirma o deputado federal.

Para Frota a articulação política do governo Bolsonaro com a Câmara é inexistente. Segundo o parlamentar, não existe uma base montada pelo governo. Para que a Reforma da Previdência fosse aprovada essa base teve que ser montada pelos partidos políticos que não possuem uma orientação ideológica específica, ou seja, centrão.

Além disso, o deputado federal ressaltou ainda que a Reforma conseguiu avançar após um trabalho em conjunto entre Rdrigo Maia e Paulo Guedes. Frota salientou ainda que se dependesse do governo, a reforma da Previdência teria andado muito pouco.

Frota X Bolsonaro

Além da Reforma da Previdência, Alexandre se mostrou decepcionado com Bolsonaro. Segundo ele, Bolsonaro precisa olhar para as coisas que ele prometeu, afinal o Brasil precisa andar. “Não estou mais preocupado com o que o Bolsonaro vai fazer ou não. Só não quero que ele erre”, afirmou o deputado federal que também se mostrou enojado em relação aos bolsonaristas “xiitas”.

Frota ainda manifestou sua indignação pela nomeação de Eduardo Bolsonaro, segundo ele existem outras pessoas que estudaram anos e anos para a missão diplomática e segundo Bolsonaro não estão apitas para assumir tal trabalho.

Questionado sobre o que acha de Jair Bolsonaro, Frota disse que conhece dois Bolsonaros. O meu amigo, até o dia da eleição, e outro, presidente. Além disso, o deputado Federal pontuou que se fizerem uma chapa Doria-ACM, vai ser uma grande chapa presidencial para 2023.

Em relação ao Partido Social Liberal (PSL), o parlamentar disse que tem muita gratidão e mesmo tendo portas abertas para outros partidos não se pronunciou sobre deixar o PSL.

Com informações da revista Época

Comentários