Política & Justiça

"Vamos privatizar os Correios" diz Bolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro muda sua visão sobre privatizações

diario da manha
(São Paulo - SP, 06/08/2019) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro.rFoto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse nesta terça-feira (6/8) querer privatizar os Correios durante a cerimônia de abertura do 29º Congresso Expofenabrave em São Paulo. Ele foi aplaudido pela platéia de empresários presentes no evento que é realizado pela associação de concessionárias de veículos.

Bolsonaro falou novamente que não entende sobre economia, mas que está aprendendo muito com as pessoas à sua volta. “Já falei que não entendo de economia. Quem entendia, afundou o Brasil.” disse o presidente. Ele ainda contou que mudou sua visão sobre as privatizações. “Eu mudei, era estatizante”, afirma.

Para o governante brasileiro, a economia do país dá sinais de recuperação e acredita que seu governo está restabelecendo a confiança na classe política. “Nós estamos cumprindo o que diz a Constituição em relação à independência dos Poderes”, afirmou.

Além de falar sobre privatizar os correios, Bolsonaro falou também sobre as reformas da previdência e tributária no evento

Ele reforçou que ainda haverá etapas de negociação tanto para a reforma da Previdência no Senado, quanto para a reforma tributária, que está em comissão especial na Câmara. “Nossa situação (econômica) realmente ainda está um pouco complicada” diz o presidente.

“As medidas vão aparecendo aos poucos” citou em relação à liberação da parcela do 13° e também dos saques do FGTS. Bolsonaro disse que a maior contribuição que pode dar aos empresários é não interferir em seu trabalho, tirar o Estado de cima deles.

Em parte do discurso, se dirigiu ao Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmando que questões relativas a licença ambiental poderiam ser transmitidas à competência dos Estados. Ele voltou a criticar a divulgação de dados sobre o desmatamento por parte do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

O governante também voltou a falar que é difícil ser patrão no Brasil. “Estamos facilitando a vida dos mais pobres sem fazer demagogia. É mais fácil defender emprego, tem mais votos. Eu defendo emprego, patrão e os que mais perdem, os desempregados.”. Jair Bolsonaro finalizou o discurso fazendo uma referência a uma possível reeleição.

*Com informações do Valor Econômico

Comentários