Política & Justiça

Youtuber deve ser alvo de investigação após suposta ameaça à Bolsonaro

Por meio de nota, o Diretório Municipal do PDT de São Paulo afirmou que o youtuber foi afastado de suas atividades

diario da manha
Foto/Reprodução

O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, mandou a Polícia Federal abrir um inquérito para investigar o youtuber e jornalista,Vina Guerreiro, filiado ao PDT, após ele ter feito ameças ao presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Em um vídeo em seu canal da plataforma, Vina Guerrero disse que o presidente Jair Bolsonaro “tem que ser assassinado”. Para Moro, a declaração é criminosa e se encaixa no tipo penal de ameaça. O ministro também quer que a PF enquadre o youtuber na Lei de Segurança Nacional.

O youtuber em questão tem pouco mais de 6 mil inscritos em seu canal, que já teve todo o conteúdo apagado. É um canal inexpressivo, portanto: o 250º maior canal de YouTube do Brasil tem 3,5 milhões de inscritos e mais de 300 milhões de visualizações.

Em um despacho publicado na última quarta-feira (07/08), Moro diz que, “diante da gravidade dos fatos”, pediu que a PF tome providências “com vistas” à investigação do caso. Além disso, o ministro da Justiça pediu que Boslonaro registrasse um Boletim de Ocorrência do crime de ameaça, para que a investigação possa começar.

Youtuber é afastado do PDT

Por meio de nota, o Diretório Municipal do PDT de São Paulo afirmou que o youtuber, coordenador do Movimento Comunitário Trabalhista de São Paulo foi afastado de suas funções, após o ministro da Justiça, Sergio Moro, solicitar à Polícia Federal a abertura de inquérito para apurar suposta prática de crimes de ameaça, incitação à violência e contra a honra do presidente Jair Bolsonaro.

Comentários