Política & Justiça

'Amazônia como patrimônio da humanidade é uma falácia', diz Bolsonaro em Assembleia Geral ONU

O discurso de Bolsonaro vem de encontro com os crescentes índices de queimada no Brasil, principalmente na Amazônia e no Cerrado

diario da manha
Foto/Reprodução

Durante o discurso de abertura na 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), em Nova York (EUA), nesta terça-feira (24/9), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que “Amazônia como patrimônio da humanidade é uma falácia”. Ainda em seu discurso, o presidente do Brasil acusou líderes estrangeiros de ataque à soberania do Brasil.

Desde 1949, cabe ao representante do Brasil abrir o debate geral da assembleia da ONU Além disto, este foi o primeiro pronunciamento de Bolsonaro como chefe de Estado no encontro.

“É uma falácia dizer que a Amazônia é um patrimônio da humanidade e um equívoco, como atestam os cientistas, afirmar que a Amazônia, a nossa floresta, é o pulmão do mundo. Valendo-se dessas falácias um ou outro país, em vez de ajudar, embarcou nas mentiras da mídia e se portou de forma desrespeitosa e com espírito colonialista. Questionaram aquilo que nos é mais sagrado, a nossa soberania”, disse o representante do executivo na assembleia da ONU.

Ainda em seu pronunciamento, Bolsonaro ressaltou que tem compromisso com a proteção da Amazônia. Ele disse ainda que a Amazônia é maior do que toda a Europa ocidental e “permanece praticamente intocada”, o que seria prova, de acordo com o presidente, de que o Brasil é “um dos países que mais protegem o meio ambiente”.

O discurso de Bolsonaro vem de encontro com os crescentes índices de queimada no Brasil. Ele é o oitavo presidente brasileiro a abrir os debates. O primeiro chefe de Estado do país a discursar no encontro da ONU foi João Figueiredo, em 1982

tags:

Comentários