Política & Justiça

É aberto processo de impeachment contra Trump

O atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, teria violado a lei após solicitar interferência de presidente ucraniano nas eleições de 2020, para favorecê-lo

diario da manha
É aberto pedido de impeachment contra Trump | Foto: Reprodução

Nesta terça-feira (24), a presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, anunciou a abertura de um processo formal de pedido de impeachment contra o presidente estadunidense Donald Trump.

Nancy Pelosi declarou, na TV local, que o pedido se dá pela acusação de que Trump tentou recrutar poder estrangeiro para manipular as eleições do próximo ano ao seu favor. “O Presidente deve ser responsabilizado. Ninguém está acima da lei”, comentou a presidente da Câmara de Representantes.

Em resposta ao anúncio, Trump utilizou o Twitter para se pronunciar sobre a acusação. “Em um dia tão importante nas Nações Unidas, tanto trabalho e tanto sucesso, e os democratas propositalmente tinham de arruinar e degradar com mais notícias do lixo da caça às bruxas. Péssimo para nosso país!”, afirmou o presidente, via rede social.

Interferência do Presidente da Ucrânia

Um agente de segurança do governo americano revelou conversas que Trump teve com o presidente da Ucrania, Volodymyr Zelensky, em 25 de julho deste ano.

Nas conversas vazadas, Trump teria pedido para que o presidente ucraniano ajudasse seu advogado pessoal, Rudolph Giuliani, a investigar Hunter Biden, filho do ex-vice-presidente Joe Biden.

Joe Biden é o pré-candidato democrata que está liderando as pesquisas de opinião para as eleições presidenciais de 2020. Por isso, ele é considerado a principal ameaça a reeleição de Donald Trump.

O agente responsável pelo vazamento das conversas afirma que Trump disse oito vezes a Zelensky que ele deveria colaborar com essa investigação. Em entrevista à CNN, o advogado assumiu que fez pressão contra o governo ucraniano e disse que Trum agiu corretamente “Claro que fiz isso”, afirmou Giuliani.

Esta ligação ocorreu quando a Ucrânia esperava a aprovação de auxílio militar dos EUA no valor de US$ 250 milhões.

O filho de Joe Biden trabalhou em uma empresa ucraniana que esteve sob investigação. Contudo, não foi comprovado que o filho do pré-candidato democrata participou do esquema de corrupção que derrubou procurador da Ucrânia em 2016.

Ao ser exposto, Trump se recusou a falar sobre as conversas com o presidente ucraniano. “Não interessa o que eu discuti”, respondeu o americano, na última sexta-feira (20).

Contudo, depois ele assumiu que estava falando sobre Biden durante os telefonemas. “A conversa que tive foi principalmente congratulatória, principalmente sobre corrupção, toda a corrupção acontecendo e principalmente sobre o fato de que não queremos nosso povo, como o vice-presidente Biden e seu filho, criando a corrupção que já existe na Ucrânia”, justificou Trump.

Após as pressões sofridas para que ele divulgasse o áudio da conversa transcrito, o presidente afirmou que o assunto do telefonema poderá ser divulgado, sem edições, amanhã (25).

“Vocês vão ver que foi uma ligação muito amigável e completamente apropriada. Nenhuma pressão e, diferentemente de Joe Biden e seu filho, sem quiproquó!”, comentou Trump via Twitter.

*Com informações do G1

Comentários