Política & Justiça

Brasil sedia o encontro dos Brics

Brasília sedia nesta quarta-feira(13/11) e quinta (114/11) a XI reunião do Brics. O encontro reúne os líderes dos maiores países emergentes(Brasil, África do Sul, Rússia, China, índia).

diario da manha

Brasília sedia nesta quarta-feira(13/11) a XI reunião do Brics. O encontro reúne os líderes dos maiores países emergentes, entre eles o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro e os presidentes da Rússia,Vladimir Putin; África do Sul, Cyril Ramaphosa; China Xi Jinping e Índia Narendra Modi.  A programação vai até amanhã,(14/11) no Palácio do Itamaraty.

Na reunião serão discutidos temas como viabilizar a relevância do bloco no contexto global, as crises na América Latina, protestos em Hong Kong e na Caxemira. 0 encontro também , deverá discutir as mudanças climáticas.

Os cinco países são signatários do Acordo de Paris e adotaram metas voluntárias de redução das emissões de carbono. Mas o atual governo brasileiro, já criticou o acordo diversas vezes. alinhado ao governo de Donald Trump, que deixou o acordo.

As metas do governo brasileiro, de acordo com o Itamaraty, são: o fortalecimento da cooperação em ciência, tecnologia e inovação; o reforço da cooperação em economia digital; o adensamento da cooperação no combate aos ao crime organizado, à lavagem de dinheiro e ao tráfico de entorpecentes; e o incentivo à aproximação entre o banco do Brics e o conselho empresarial do agrupamento.

A Cúpula do Brics em si acontece na manhã de quinta(14/11)quando Bolsonaro, Ramaphosa, Xi Jinping, Putin e Modi fazem uma reunião a portas fechadas, seguida de uma reunião aberta e com transmissão.

Mas nesta quarta-feira (13/11) o presidente Bolsonaro passou a manhã em reunião com o premiê chinês, Xi Jinping e já finalizaram uma série de compromissos. Durante a tarde o presidente recebe o primeiro-ministro indiano Narendra Modi em audiência no Palácio do Planalto.

Já com os os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da África do Sul, Cyril Ramaphosa, Bolsonaro fará reuniões separadas, somente na quinta-feira(14/11), após o término da Cúpula. Depois os líderes assinarão a Declaração de Brasília, um documento com as conclusões do encontro.

Com informações do Correiro Braziliense eG1

Comentários